O BBB Jean Willys, eleito Deputado Federal pelo PSol, com pouco mais de 13 mil votos, vai cortar um dobrado pra explicar como promoveu uma campanha para distribuir milhões de santinhos sem  pagar a uma alma sequer.

Jean declarou que não investiu um tostão na campanha até o dia da eleição, segundo consta de suas duas primeiras prestações de conta apresentadas ao TSE.

 

Jean não mudou nada. Sonegou

 

Ao que tudo indica, recebeu uma doação no valor de R$ 1 mil e outra estimada em R$ 7.537,64 em material impresso.

Não contabilizou o site http://jeanwyllys5005.com.br/, onde continua fazendo campanha pelo segundo turno (mentiu ao TSE ao informar que não usou internet). Pior ainda: disse que não gastou um níquel em deslocamentos e transporte para percorrer o Estado.Mentiu muito o BBB do PSol à Justiça. Disse que não gastou nem recebeu doação estimada da produção do programa de rádio e TV para os horários gratuitos. A julgar pelo que informou no item 2.22 da declaração, os vídeos veiculados na propaganda eleitoral foram espiritistas e nem era ele quem pedia o voto.

Jean explorou bastante os apoios de Caetano Veloso, Bruno Chateaubriand, Debora Olivieire, Cláudia Jimenez, Edwin Luisi, Wagner Moura e outras celebridades.

Renato, da maconha, seria sucessor de Jean

Atrás de Jean Willy no PSol e poderia ser beneficiado em caso de cassação, está o primeiro-suplente, Renato Cinco, que obteve 9 mil votos defendendo a legalização da maconha. Apesar de ter declarado que gastou cerca de R$ 2 mil 369 com despesas de internet, deixou de declarar o total arrecadado com a “Festa do 55”, promovida no dia 16 de julho, no Balaio Cultural da Rua dos Inválidos, à razão de ingressos com Inteira R$10 – Meia R$5 – Lista Amiga R$20.  Não declarou nada.

E depois o PSol vem falar que é um partido digno e honrado…

Anúncios