De tanto mandarem o dançarino Lacraia ir, no “vai, Lacraia, vai”,  ele foi-se. Foi pro beleléu. Escafedeu-se, morreu e foi brincar no céu.

No funeral, parentes e amigos cantaram a “Éguinha Pocotó”, do MC Sérginho, que chorou muito desde a capela de Inhaúma ao cemitério (dá um bom pedaço de chão, tem que atravessar ruas, parar o trânsito, um ritual ao qual nunca dão solução).

Lacraia, que inspirou nome de cães e gatos, agora vai ser nome de rua e ganhar o respeito dos que ficaram. Em seu último, o féretro com o corpo do dançarino foi acompanhado por centenas de pessoas entoando a  eguinha pocotó, pocoto, pocotó.

Anúncios