REDE DE TV MENOSPREZA LUTADOR E PROMOVE NARRADOR

Não sei o resultado da luta, mas se o brasileiro Junior Cigano  perder para o americano campeão mundial, terá sido culpa da Rede Globo. Explico:

A Globo não tem responsabilidade social e seus profissionais devem achar que isso é algo de comer ou de limpar o bumbum, na medida que menosprezam  todo esforço e preparação do lutador Cigano para esta competição.

Aliás, esforço que não é de agora, vem de longe, pois a Globo não faz idéia da dificuldade que foi para Cigano  arrumar essa luta. Agora que está tudo certo, a Globo aproveitou a semana para promover não aquele que vai lutar literalmente na base da porrada.  A Globo pôs a luta  em que Cigano joga sua vida em segundo plano só para promover Galvão Bueno, seu chefe de equipe e melhor narrador do Brasil.

Galvão não precisava fazer isso, menosprezar nosso lutador e destacar a estréia dele como narrador de vale tudo e um pouquinho mais, com nome de UFC.

Quanto desrespeito ao atleta Cigano e ao campeão mundial! Só se fala em Galvão.

A Globo faz acreditar que a grande atração será Galvão Bueno transmitindo a luta.

Fico a imaginar a quantas anda o coração de Cigano, assistindo ao Globo Esporte e vendo que todo seu esforço não vale de nada, que a atração será a transmissão de Galvão. Cobertura “muy amiga” essa da Rede Globo. É de desmontar até um campeão como o Cigano. É de mexer com o emocional do lutador,  jogado pra escanteio em benefício de uma macaca velha da crônica, que é Galvão. Cigano, para a Rede Globo, é só detalhe, só o efeito e não a causa de tudo.

Ética, vergonha, nada disso possui Galvão Bueno. É o melhor, mas é igualmente um hipócrita, sacripanta, posto que cabia a ele, enquanto chefe da equipe esportiva, agir imediatamente, impedir que essa injustiça ganhasse o corpo e importância que ganhou. A cobertura da Globo leva o público a  querer  ver Galvão, todo elegante, com a categoria de melhor do Brasil, sentadinho no camarote-cabine, como se sairá.

Eu sei. Galvão será bem sucedido, sabe como ninguém fazer comunicação esportiva. Sou fã dele. Mas o campeão Cigano  já entra no octógono em desvantagem, derrotado por aqueles dos quais esperava todo apoio e merecido incentivo.

Não desejo a derrota de Cigano, mas ele terá que vencer dois adversários: a glória de Galvão Bueno e o campeão do mundo. Convenhamos que é querer muito.

Mas, no caso de um insucesso,  de uma fatalidade e Cigano perder, Galvão não escapará da pecha de azarento, pé frio. Um pé frio de olho grande. O maior de todos os tempos.

Cigano, meu irmão, nem todos os jornalistas são como Galvão e sua turma. Existem os que honram “essa farda” e não se deixam corromper.

Quem merece um monte de porrada não é bem o campeão americano, mas sim Galvão Bueno, pra deixar de ser aproveitador e parar de  desrespeitar a criatura humana.

Anúncios