PREFEITO PASSOU A CAMPANHA DIZENDO QUE A SAÚDE ESTAVA UM CAOS, MAS NÃO TEM PLANO PARA EXECUTAR. APELA PARA CALAMIDADE QUE NÃO EXISTE

O Prefeito de Niterói, acaba de adotar uma medida que é um atestado de burrice: decretou Calamidade Pública na saúde de Niterói. Levou todo período de transição sem propor nada, o que prova sua má-fé com o setor.mario monteiro

Todos sabemos que insumos são comprados no início de cada ano.Não se tem notícia de que Rodrigo Neves tenha, imediatamente, aberto o processo de compra, tendo em vistas o apurado pela equipe de transição. Só que quem chefiavaessaequipe era um incompetente, Axel Grael.

Agora, decorrido quase um mês, vem com esseargumento pueril e enganoso, incoerente, dedecretar calamidade pública.

Para o jornal O Fluminense, prefeito disse que esta unidade desaúde (acima) é um hospital. Piada

Rodrigo Neves levou toda campanha eleitoral dizendo que asaúde estava um caos (aliás, toda a cidade, segundo ele). Venceu as eleições, teve acesso a tudo na transição. E eu pergunto: o que fez? Pediu para adiantar o processo de compra de insumos que o deputado Chico D’ângelo diz existir? Fizeram auditoria no setor? qual o resultado? Indicava uma “calamidade pública”?POLICLINICA

Ao lado a “prova do caos”, uma Policlínica novinha no Largo da Batalha. A verba para reforma do Getulinho daria para fazer 20 hospitais desse

O Ministério Público tem que ver isso com muito cuidado, pois a saude recebeverba carimbada, própria.É preciso saber pra onde foi o dinheiro que Niterói recebeu e responsabilizar que o desviou (se é que houve desvio, pois a saúde de Niterói, há anos, vinha sendo controlada pela Secretária Executivo, Maria Célia, a Hamilton Pitanga de Rodrigo).

Chamar aquele posto de saúde Mário Monteiro de Hospital é brincadeira. Na época, paraque pudesse funcionar, Godofredo fechou todos os postos de urgência da região, descobriu um santo para cobrir outro. O mesmo está sendo com o Getulinho, que parafuncionar teve que fechar a emergencia pediatrica da UPA.

Rodrigo quer um cheque em branco, não um orçamento para seguir.

Vai acontecer igual a deoutras medidas, terá que voltar atrás. Esperem só, pois nenhumk fenômeno, nada imprevisível, que justifique essa irresponsável decretação de Calamidade.

Esperem só…

Anúncios