O que mais me espantou na manifestação de ontem (25/06) em frente à Câmara de Niterói foi a falta de inteligência das pessoas ali presentes, cuja impressão digital e caligrafia os ligam ao Psol e Pstu.

Sao do Psol por que são incoerentes. E do Pstu pela intolerância. E clamavam a plenos pulmões (pulmão de gente criada com fartura) CPI dos Ônibus já. Pensei comigo: santo Deus, o que fizeram os empresários, que crime praticaram? E  a galera gritava

 – Vereadores, assinem a CPI dos ônibus! –

Pensei mais:  deve ser uma horda de ônibus assassinos,  sem dó e sem coração.

Quanta estupidez estão ensinando aos nossos meninos e meninas! O próprio nome já  de “Inquérito”. Qual crime foi praticado? Cobrar a passagem que legalmente foi autorizada?  Continuaram cobrando a mais quando a mesma autoridade decidiu decretar a redução? Não. Então não há fato que determine a abertura de uma CPI, pois o aumento de ônibus foi praticamente nacional, num só tempo.

O PSol, que  foi  responsável pela eleição do atual prefeito, pois pregou o voto n ulo,  brinca de gastar o dinheiro público na Câmara, votando contra projetos que o povo clama e  apóia, como a transoceânica e o túnel Charitas-Cafubá. Paulo Eduardo foi o mais votado na região, mas o PSol o fez votar contra uma necessidade do povo da Região Oceânica. Se são capazes de negar isso à cidade, podem fazer pior e fazem, impunemente, o que se saberá nas próximas eleições.

Prefeitura não tem um terminal do Riocard Por que?

O que eu sinto que existe é fumaça de corrupção, relação de promiscuidade entre a administração municipal e os empresários de ônibus. Nesse caso, é preciso um inquérito civil público, sendo necessário apelar para o Ministerio Público. As evidências pululam por ai: jamais se promoveu uma ação fiscal nas empresas; em que pese o sistema ser informatizado, indicando o nome do passageiro, local, data e hora do uso de cartões, controle de vendas em dinheiro, a velocidade dos ônibus, a Prefeitura enquanto poder concedente e verdadeira dona do sistema não tem sequer uma extensão, um terminalzinho de onde possa acompanhar o fluxo que indica  a relação passageiros pagantes, gratuidade, total arrecadado, tempo de viagem e total de pessoas transportada numa viagem.

Por que a Prefeitura de Niterói  abriu mão de ter um terminal do Riocard, como a do Rio tinha até Eduardo Paes assumir e mandar desligar? Qual o interesse público em não ter? Em não tendo, os empresários não deixam rastros.  Não querem transparência, um “big brother fiscal”. Essa situação perdura há anos e o PSol NUNCA denunciou ou foi contra. Ficou queitinho no canto dele, vendo a situação se agravar, pois praticam a política  do quando tá ruim é que tá bom e nada é tão ruim que não possa ser piorado.

O foco da CPI, se fosse o caso, seria de investigar possível  corrupção, malversação  e improbidade administrativa. Os ônibus são apenas um detalhe e parece impossível provar a  culpa dos empresários. Por que o Poder Publico  dá tanta proteção aos negócios de empresários de ônibus? Por que não abrem as planilhas dos últimos 50 anos, como o MP está fazendo em Goiás? Um reajuste errado há30 anos (Waldenir de Bragança duplicou o valor da tarifa para implantar o passe do idoso; depois dobraram de novo no governo de  Godofredo) vai mascarar outros aumentos. É preciso reunir as provas e só depois  propor a CPI com fato determindo. Querer uma CPI para buscar provas é que não existe. CPI é para encontrar culpados.  Sem fato determinado é pagar mico  e quando a justiça agir vão  acusa-la também.