O mundo caminha célere para a viadagem generalizada. Na Alemanha os recém-nascidos já são registrados sem referência ao sexo.

Ainda não é possível saber o benefício (ou estrago) que essa medida pode causar nas crianças, mas é um grande passo para a viadagem geral, confirmando minhas suspeitas de que um dia ser gay vai ser obrigatório. E pelo andar da carruagem, não vai demorar. Já já, alguém vai propor o mesmo no Brasil, onde os meios de comunicação (Veja, Folha SP, Rede Globo etc, viveiros de viados de todas as idades) noticiam com tendência muito positiva o assunto.

Tanto faz ser um ou uma ninhada, na Alemanha bebê não tem mais sexo (foto facebook)

Tanto faz ser um ou uma ninhada, na Alemanha bebê não tem mais sexo (foto-absurdo que circula no facebook)

Pela nova lei, o sexo só será registrado se houver exigência do declarante, mas não cabe ao funcionário do Registro Civil sequer perguntar se o bebê é menino ou menino, a pretexto de que a criança faça sua opção sexual quando chegar à idade adulta.

Matéria mais isenta na edição de hoje do migalhas.com