JUSTIÇA JULGA AÇÃO  INICIADA NA GESTÃO ANTERIOR

– O site do Sindicato dos Jornalistas do Rio, ainda que não faça referência ao Passaralho do Globo, contém uma informação correlata, que reproduzo na íntegra a seguir

Prédio histórico do Globo, sem a passarela que o  liga ao edificio mais moderno

Prédio histórico do Globo, sem a passarela que o liga ao edificio mais moderno

“A 24ª Vara do Trabalho julga, nesta terça-feira (18), a ação civil pública contra a Infoglobo por discriminação de funcionários por idade. Uma investigação iniciada em 2010 pela 1º Procuradoria do Trabalho apontou que a empresa que edita os jornais O Globo, Extra e Expresso demite empregados, muitos deles jornalistas, que chegam aos 60 anos. A Infoglobo nega a prática, apesar das provas que constam da investigação que originou a ação. É importante a presença dos trabalhadores afetados na audiência, que será aberta ao público, a partir das 13h, na Rua do Lavradio 132, no Centro do Rio.

A ação civil pública movida pela Procuradoria do Trabalho pede multa de R$ 5 milhões à empresa e exige que a Infoglobo se comprometa a parar de dispensar empregados em virtude de sua idade. Durante a investigação, o Ministério Público do Trabalho tomou depoimento de dezenas de trabalhadores – de diferentes áreas – que foram demitidos do Infoglobo na proximidade dos 60 anos ou depois de começar a receber aposentadoria pelo INSS.

A prática fere o artigo 3º da Constituição e até mesmo a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Na Infoglobo, como aponta a investigação da Procuradoria do Trabalho, apenas os profissionais mais conhecidos no mercado, como colunistas, são poupados dos cortes por idade.”

A nota não faz referência à  norma de obstrução que a Infoglobo criou  para contratação de profissionais de quaisquer categorias. Acima dos 55 anos de idade, ninguém é admitido. É só verificar nos registros da empresa. Quando muito, só para serviços temporários, par cobrir férias, licenças, sem vinculo empregatício.