Archives for the month of: Novembro, 2015

multi

A policia ainda não conseguiu identificar os assaltantes que foram impedidos de agiar no Shopping Itaipu Muticenter na tarde de hoje (30/11), causando muito pânico entre os clientes.
Segundo foi apurado, um policial civil havia sacado uma expressiva quantia num caixa-eletrônico do shopping estava  sendo obsevado pelos ladrões. Quando se dirigia ` à loja da Vivo, com entrada pelo e estacionanamento, o policial aposentado foi sappremado pelos assaltantes e reagiu. Na troca de tiros, um cliente que estva dentro do carro foi atingido. Ele tinha ido buscar a muler, que ntrou em pânico como todos no shopping.
Toda refrega limitou-se à área externa do Multicenter e a policia agora vai examinar imagens para dentificar os envolvdos.

Anúncios

SÓ EXISTE PROVA DE FINANCIAMENTO PARA RODRIGO NEVES

recibo de rodrigo neves

Copia do recibo de financiamento de cmpanha, oação de Betinho.

A Policia  já encontrou quem estava sendo beneficiado diretamente pela máfia dos txis que foi desbaratada na Prefeitura de Niterói: o próprio prefeito, Rodrigo Neves, do PT. Ele deixou que o líder do seu governo na Câmara, o vereador Gallo, fosse envolvido mesmo sabendo foi ele, o prefeito, quem havia recebido financiamento de campanha. Se a Policia não tivesse encontrado a prova que o grupo financiou Rodrigo Neves, Gallo estria pagando o pato até hoje. Nós bem que sabiamos que Gallo era inocente, leia m aquirodrigooo
Não faz diferença se o Prefeito Rodrigo Neves  (foto acima, extraída da internet) recebeu R$ 1 mil ou R$ 1 milhão da máfia dos taxis para sua campanha. A doação, devidamente escriturada, revela que o prefeito e o esquema tinham estreita relação, o que explica de certa forma a vista grossa para aquele setor. O contexto aumenta as suspeitas de que a certeza da impunidade estava baseada no Gabinete  do Prefeito. Confirmando minha postagem anterior, não tinha nada a ver com o vereador Gallo, cujo nome foi utilizado para tumultuar o proceso, retardar as investigações e levar os policiais a perderem tempo andando em circulo e procurando chifre na cabeça de burro.
Não obstante, o estrago à imagem de Gllo já havia sido feio. A TV Globo (RJTV), tão eficiente em relacionar, por suposição, o nome de Gallo com a máfia, não teve o mesmo proceder quando a Policia encontrou na casa do servidor Betinho, numa busca e apreensão, a prova de que o preso havia doado R$ 1 mil para Rodrigo Neves. A polícia agora atua no sentido de descobrir se esta foi a única doação e qual a procedência dos recursos.

globo

Vai ser uma farra de gasto com publicidade em ano eleitoral. O jornal Expressão Oceâanica publica em seu portal que a Prefeitura de Niterói pretende gastar 15 milhões só em publicidade no ano que vem. Leia aqui.

Só GPS, aplicativo e fiscalização podem impedir duplicatas

De nada vai adintar a Prfeitura publicar uma lista com os 1960 taxis legalizados de Niterói. Afinal, não se chegará aos piratas, a menos que os carros cronados estejam ao lado de outro, com a mesma placa e número de ordem. Se uma autonomia foi copiada para cinco táxias, incuindo ai a placa, modelo, ano do veículo e numero de ordem, os clonados aparecerão como autonomias quentes. Há opções mais inteligentes que estão sendo desprezzadas pelo Prefeito Rodrigo, que teve parte de sua campanha comprovadamente financiada por Betinho, servidor-chefe da seção dos taxis e que se encontra preso. o jornal Expressão Oceãnica dá uma boa matéria a respeito.

taxissss
Um aplicaivo exclusivo para os taxis de Niterói e a instalação de GPS nos veículos seria capaz de indicar os veículos em operação ou não. Outra medida que se impõe, se houver iteresse de desbaratar mesmo essa quadrilha, será anular tdos os processos de transferência de autonomia de táxis dos utimos anos.
Nos governos de Jorge Roberto Silvveira, Godofredo Pinto e Rodrigo Neves, não foi concedida nenhuma autonomia. No governo de João Sampaio, pelo que consta, apenas uma autonomia foi concedida em caráter excepcional. Nao há nenhuma conessão nova.
Outra providência que precisa ser tomada é a urgente investigação das cooperativas de taxis, que chegam a cobrar R$ 40 mil por novas admissões. Suspeita-se que nas cooperativas existam muitos carros cronados e o esquema de Betinho e Cia tinha um modus operandi bem parecido com as práticas cooperativas.Recentemente, houve uma fusão de duas grandes cooperativas, que fez desaparecer Embrataxi e Real Taxi. Que fim levaram aquelas cooperativas, suas obrigações e tudo mais? A Prefeitura homologou a fusão e criação de uma nova cooperativa. Mas,será que exigiu a baixa das antigas copertivas e o cumprimento das exigências legais? Legalidade não parecer norter esse setor na cidade, a cmeçar pela venda por té R$ 250 mil de uma autonomia que o governo municipal deu graciosamente, sem cobrar nada.
Não é justo que o município dê de graça e espertalões transfiram as autonomias cobrando um valor milionário. O mercado negro de autonomias só existe porque a Prefeitura admite, faz a transferência. Acabem com a possibilidade de transferência foa do circulo familiar, em caso de morte ou deficiencia por doença terminal e o serviço de taxi só interessará a quem trabalha.
Outra coisa importante: uma fiscaização severa, tanto da Prrefeitura quanto da Policia Militar. Um selo se segurança excusivo pode dificultar a clonagem. É só qurrer moralisar. Todos os taxis de Niterói deveriam ser periciados, proibidos de ircular com xerox de doumentos. Mas para dr certo, tem que haver blitz todos os dias, todas as horas. Chassis não podem ser duplicados.
Por ultimo, é preciso identificar os motoristas vitimas desse esquema, que pagavam diárias para dirigir os taxis piratas sem ter idéia do esquema. Essa gente toda não pode ficr no horaveja, no prejuízo. A Prefeitura tem que identificá-los e conceder a eles uma autonommia também.
Uma coisa resta provada: apesaar das duplicatas, ainda faltam taxis em Niterói.

As eleições para a Prefeitura de Niterói serão uma guerra de quatro partidos: Rede, com José Seba; PT, com Rodrigo Neves; PDT, de Felipe Peixoto; e Psol, com Flávio Serafini. Apesar de ter a máquina na mão, o PT de Rodrigo Neves está em declínio nacional e na cidade sofre com a mesma tendência.

rodrigos

Rodrigo com o delator Ricardo Pessoa

Felipe Peixoto aposta na empatia do eleitor de Niterói com o PDT, cujo legado politico está em toda parte, alguns copiados por todo Brasil, como o programa Médico de Família. “O PDT fez o MAC, o Terminal João Goulart, o Mergulhão, o Caminho Niemayer, além de restaurar o Teatro Municipal e o Palácio Araribóia, nem se compara com o PT de Godofredo e Rodrigo. Nós levamos o abastecimento d’água e coleta esgotos em toda cidade”, orgulha-se o Secretário-Geral do PDT, Miguel Vitoriano, “além de fazer de Niterói a primeira cidade do estado e a quarta melhor em qualidade de vida no país”.

felipe peixoto de azul

Felipe Peixoto não tem aparecdo em eventos ´publicos
Rodrigo Neves, por seu turno, faz de tudo para se livrar da pecha de candidato do PT. Ao participar do programa Deles & Delas, renegou o PT o tempo todo, na esperança de levar as eleiçõess para o campo da disputa pessoal. Seus adversários preparam-se para mostrar que está envolvido com a máfia da Petrobrás, José Dirceu, Lula e Dilma, que deram um empurrão na ultima eleição.
O Psol quer se firmar como oposição tanto ao PDT quanto ao PT. E aposta na insatisfação do eleitor para obter maior apoio possível. Nas eleições passadas, o candidato Flávio Serafini obteve expressiva votação, que acabou se convertendo em voto nulo no segundi turno, em 2012.

seba2 com o povo

José Seba nas ruas

A Rede deve lançar o médico José Seba, que faz um estilo de não agressão a todos adversários. Seba quer fazer diferente: “Quem me conhece sabe que não sou de ofender ninguém. Se não quero ofensa para mim também não desejo pra ninguém”, prega em suas andanças. Ele também tenta o apoio do PSDB, que ainda não tem um nome de expressão e pode acabar apoiando o candidato que o PDT lançar.serafini

NOME DO VEREADOR GALLO É PLANTADO SÓ PARA CONFUNDIR (E PREJUDICAR)

vereador-gallo_0157

VEREADOR GALLO, MAIS HONESTO QUE ELE NÃO HA

O Vereador Gallo, indiscutivelmente o melhor político de Niterói, tem cerca de 4 mil eleitores. Natural que entre eles exista alguem da pá-virada, como é o caso do mafioso Betinho, funcionário de carreira da Prefeitura. Nenhum político pede atestado de bons antecedentes aos seus eleitores., muito menos Gallo.
Gallo conhecia Betinho, como quase todos os funcionários da Prefeitura, os quais defende com muito vigor na Câmara e encaminha pleitos. Isso não o liga à Máfia dos Taxis. Eu também conheço Betinho, como servidor e mecânico de automóveis na Ponta da Areia, bairro em que Gallo é muito querido.
Alguém, que não gosta de Gallo, o está colocando no meio desse mar de lama que é característico do Partido dos Trabalhadores em todos os níveis de governo. Querem desviar o foco de alguém muito quente para botar a culpa no Gallo, por saber que ele -Gallo- não tendo nada a ver com a máfia, sabe se defender.
Só que o estrago foi feito. O noticiáio do RJTV colocou Gallo como beneficiário da máfia dos milhões. Poxa, logo Gallo, um duro, que vive pendurado em empréstimos consignados, que não possui bens, que tira a roupa do corpo para ajudar quem necessita. Não há provas. Apenas o nome dele foi incluido na reportagem, como poderia ter sido o do prefeito, do governador ou da presidente. Até o meu. Afinal, conheço Betinho e acho muito difícil que seja o chefe dessa quadrilha. No máximo, foi executor de odens, como sempre fez. Era um obediente servidor e se houver mesmo interesse em aprofundar essas investigações, chegarão aos chefões, que não é Gallo. Por enquanto, tá frio, muito frio.
Quero me solidarizar com Gallo, pois sei da dor que sente ao ter seu nome plantado nesse mar de lama. Há trinta anos eu trabalho com Gallo, conheço sua trajetória e bem sei que não está, não esteve e jamais estaria envolvido com qualquer tipo de falcatrua. Que tem defeitos, todos temos e é um fato. O maior defeito tem sido ser líder de um governo do PT, de um prefeito que aceita doação de campanha de um barnabé como Betinho e não desconfia de onde vinha o dinheiro.
Betinho tinha chefe, que não era Gallo. Betinho cumpria ordens, que não eram de Gallo; cumpria horários que não foram fixado por Gallo. A única coisa que os uniam (e a milhares de outros servidores) é o fato de Gallo também ser um barnabé, um funcionário de carreira da Prefeitura. Nada mais. Achem quem nomeou, designou e deu ordens a Betinho e descobrirão o verdadeiro culpado. Ou culpados.

NOME DO VEREADOR GALLO É PLANTADO SÓ PARA CONFUNDIR E PREJUDICAR

O Vereador Gallo, indiscutivelmente o melhor político de Niterói, tem cerca de 4 mil eleitores. Natural que entre eles exista alguem da pá-virada, como é o caso do mafioso Betinho, funcionário de carreira da Prefeitura. Nenhum político pede atestado de bons antecedentes aos seus eleitores., muito menos Gallo.
Gallo conhecia Betinho, como quase todos os funcionários da Prefeitura, os quais defende com muito vigor na Câmara e encaminha pleitos. Isso não o liga à Máfia dos Taxis. Eu também conheço Betinho, como servidor e mecânico de automóveis na Ponta da Areia, bairro em que Gallo é muito querido.
Alguém, que não gosta de Gallo, o está colocando no meio desse mar de lama que é característico do Partido dos Trabalhadores em todos os níveis de governo. Querem desviar o foco de alguém muito quente para botar a culpa no Gallo, por saber que ele -Gallo- não tendo nada a ver com a máfia, sabe se defender.
Só que o estrago foi feito. O noticiáio do RJTV colocou Gallo como beneficiário da máfia dos milhões. Poxa, logo Gallo, um duro, que vive pendurado em empréstimos consignados, que não possui bens, que tira a roupa do corpo para ajudar quem necessita. Não há provas. Apenas o nome dele foi incluido na reportagem, como poderia ter sido o do prefeito, do governador ou da presidente. Até o meu. Afinal, conheço Betinho e acho muito difícil que seja o chefe dessa quadrilha. No máximo, foi executor de odens, como sempre fez. Era um obediente servidor e se houver mesmo interesse em aprofundar essas investigações, chegarão aos chefões, que não é Gallo. Por enquanto, tá frio, muito frio.
Quero me solidarizar com Gallo, pois sei da dor que sente ao ter seu nome plantado nesse mar de lama. Há trinta anos eu trabalho com Gallo, conheço sua trajetória e bem sei que não está, não esteve e jamais estaria envolvido com qualquer tipo de falcatrua. Que tem defeitos, todos temos e é um fato. O maior defeito tem sido ser líder de um governo do PT, de um prefeito que aceita doação de campanha de um barnabé como Betinho e não desconfia de onde vinha o dinheiro.
Betinho tinha chefe, que não era Gallo. Betinho cumpria ordens, que não eram de Gallo; cumpria horários que não foram fixado por Gallo. A única coisa que os uniam (e a milhares de outros servidores) é o fato de Gallo também ser um barnabé, um funcionário de carreira da Prefeitura. Nada mais. Achem quem nomeou, designou e deu ordens a Betinho e descobrirão o verdadeiro culpado. Ou culpados.

tunel obra

A abetura do tunel Charitas-Cafubá vinha sendo adiada a 40 anos por uma razão muito simples: não era e nunca foi uma prioridade para os habitantes da Região Oceânica, como o tempo de encarregará de provar. Nossa prioridade enquanto moradores de Niterói é a salvação de nossas Lagoas, de Itaipu e Piratininga e revitalização dos rios que nela desaguam.Aliás, essa foi uma das promessas de campanha do prefeito Rodrigo Neves. Os eleitores das margens das lagoas acreditaram nele e, de eleitores fiéis de Felipe Peixoto, debandaram para o lado o “salvador da pátria”. A promessa tamanha que até seu Paulo Peixoto, pai doe Felipe e morador do treho à beira da Lagoa de Piratininga, por pouco não se sentiu obrigado a voar em Rodrigo Neves. Ainda com respaldo de Lula, Dilma, Zé Dirceu, João Vacai, Ricardo Pessoa e outras hoje envolvidos na Lava-jato. As lagoas inteiras, em peso, votaram. E o reultado foi uma apetada diferença.Foi só vencer que Rodrigo Neves “esqueceu” todas as promessas e priorizou o tunel. Prioridade dele, só dele. O tunel seria construído pela iniciativa privada, que poderia cobrar pedágio. Quer dizer, só quem precisasse do tunel arcaria om o ônus de sua construção. Agora, não. Todos vão pagar, até os moradores do Fonseca, Barreto, Pendotiba e Engenhoca (para ciar alguns), pela construção do tunel que não lhes serve para nada, uma vez que o melhor acesso é pelo Caramujo, Ititioca ou Garganta da Viradouro, sem contar a Estrada da Cachoeira.E o pior: mais cedo ou mais tarde, a Prefeitura vai ter que criar um sistema de pedágio no tunel ou na Transoceânica, para arcar com a dívida bilionária que contraiu. Além de nada fazer pelas lagoas e outras necessidades da região, como os constantes alagamentos no entorno do Largo da Batalha, Avenida Central, Santo Antonio e tantos mais, o prefeito do PT de Niterói sepultou de vez um sonho preses a ser realizar: a construção de um ramal ferroviario ligando a Região Oceânica ao Centro por meio de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), passando pelos bairros mais povoados e sem custo par o municipio.Qual o quê? Rodrigo Neves preferiu beneficiar as empresas de ônibus. Isso porque nunca andou de busão, de três-novão ou três-oitão, linhas que ligam às praias e lagoas. BRT ou BRS, sej lá o que for, sendo ônibus, não vai prestar. Não se respeitou ninguém, não se fez uma pesquisa para saaber se a populaçao preferia uma nova linha de ônibus ou um VLT. Simplesmente acharam que era o melhor. E todos sabemos que quando fica muito bom pro PT, o povo sai perdendo. Como agora.

Sem provas da existência de contas e nem desvio de dinheiro, CPI   comandada pelo Psol só faz lembrar que Paulo Eduardo é uma versão 2015 de Antonio Conselheiro

Psol deu provas de que é uma temeridade confiar nos seus representantes na Câmara de Niterói. A CPI, criada para investigar a existencia de contas do ex-Prefeito Jorge Robrto Silveira e do supersecretário Zeca Mocarzel, presidida por Paulo Eduardo, por pouco não leva o lagislativo municipal a pagar um mico incrível. Ao não conseguir provar e existencia das contas e muito nemnos e recursos publicos as basteceram, Paulo Eduardo quis induzir os demais membros da CPI a tomare outro rumo e investigar fato indeterminado e não previsto no ducumento de criação da CPI.

Paulo Eduardo, presidente  da CPI

Paulo Eduardo, presidente da CPI

– Essa CPI não é para investigar as contas de Joge e Mocarzel no HSBC da Suiça – repetiu Paulo Eduardo. Foi o baastante para que o Líder do Governo, Vereador Gallo, reagir.” Como não?”, estranhou Gallo. Instalou-se um bae-boca entre Paulo Eduardo e Gallo.
INQÉRITO DO INQUÉRITO
A CI estava ouvindo o Promotor Rubem Viana, deois de ttentar o sem sucesso ouvir o repórter de O Globo que noticiou o fato. Insana intenção, que revela o falta de preparo do veredor do Pol. Quando uma noticia é publicada, ela ertence ao jornal que a veicula e assim assuma todas as responsabilidades quanto à veracidade do que o repórter escreveu. Repórter não tem obrigação de depos em CPI alguma.
Tendo em vista que o Miistério Público Criminal de Niteói não encontrou provas da existencia das contas qunto mais sobre o dinheiro que as abasteciam, na qualidade de presidente, Paulo Eduardo, passou a tratar de outros assuntos que não eram objeto de nvestigação da comissão, como os contratos com empresas fornecedoras de mão de obra para a Pefeitura. Ao dar dealhes do inquérito aberto pelo MP, Viana assegurou que já havia doumentos e relatos de que, a partir de 2007, instalou-se na Prefeitura uma máquina de corrupção colossal., inclusive com a quebra do sigilo bancário, telefonico e fiscal dos envolvidos.
Depois do promotor criminal asseguar que seria uma leviandade afirmar que existiam as contas e muito menos dinheiro, Paulo Eduardo quis apurr o que já estava sendo apurado pelo MP. Um desperdício, na opiião de Gallo, uma falta de respeito com o trabalho do Ministério, que tem pessoal mais gabaritado e com mais prerrogtivas do que qualquer vereado.
“Inquérito do inquérito não vale. Pedir cópias ao MP pra no final a CPI remeter ao prório Miistério Público, não está dirito. Há meses, o vereador Bruno Less propos a CPI tendo por base entrevista que o prootor concedeu ao Globo sobre inquérito criinal em andamento. Se o MP estava apurando, não havia sentido a Câmara criar a CPI para fazer o mesmo” disse Gallo.
Sem falar na tremenda falta de respeito a Buno Lea, que se curvou aos argumentos na época em que retirou o pedido de CI, após uma audiência a que o mesmo Rubens Viana esteve presente e antecipou detalhes do inquérito.
Paulo Eduardo partiu para o “hadouken”: diante da impossibilidde de seguir em frente quis transformar uma CPI criada para apurar as contas do HSBC de 1991 a 2003 em inquerito do inquérito que o MP está apurando a conttar de 2007. Há quase um ano investigando (mais do triplo do prazo da CPI), nem assim o MP, com todo aparelhamento, apresentou denuncia contra os acsados.
Tal e qual um Antonio Conselheiro, Paulo Edduardo quis medir forças, colocou o assunto em votação e foi derotado. Se acaso fizesse outros movimentos, haveria de ser derrotado. E parou por ali.
Ficou evidente que a pretensão não era apurar nada e sim desperiçar dinheiro públco, da Câmara, para um movimentto eleitoreiro com intenção de prejudicar candidaturas e os beneficiar a bancada do Psol perante a opinião pública.