NOME DO VEREADOR GALLO É PLANTADO SÓ PARA CONFUNDIR E PREJUDICAR

O Vereador Gallo, indiscutivelmente o melhor político de Niterói, tem cerca de 4 mil eleitores. Natural que entre eles exista alguem da pá-virada, como é o caso do mafioso Betinho, funcionário de carreira da Prefeitura. Nenhum político pede atestado de bons antecedentes aos seus eleitores., muito menos Gallo.
Gallo conhecia Betinho, como quase todos os funcionários da Prefeitura, os quais defende com muito vigor na Câmara e encaminha pleitos. Isso não o liga à Máfia dos Taxis. Eu também conheço Betinho, como servidor e mecânico de automóveis na Ponta da Areia, bairro em que Gallo é muito querido.
Alguém, que não gosta de Gallo, o está colocando no meio desse mar de lama que é característico do Partido dos Trabalhadores em todos os níveis de governo. Querem desviar o foco de alguém muito quente para botar a culpa no Gallo, por saber que ele -Gallo- não tendo nada a ver com a máfia, sabe se defender.
Só que o estrago foi feito. O noticiáio do RJTV colocou Gallo como beneficiário da máfia dos milhões. Poxa, logo Gallo, um duro, que vive pendurado em empréstimos consignados, que não possui bens, que tira a roupa do corpo para ajudar quem necessita. Não há provas. Apenas o nome dele foi incluido na reportagem, como poderia ter sido o do prefeito, do governador ou da presidente. Até o meu. Afinal, conheço Betinho e acho muito difícil que seja o chefe dessa quadrilha. No máximo, foi executor de odens, como sempre fez. Era um obediente servidor e se houver mesmo interesse em aprofundar essas investigações, chegarão aos chefões, que não é Gallo. Por enquanto, tá frio, muito frio.
Quero me solidarizar com Gallo, pois sei da dor que sente ao ter seu nome plantado nesse mar de lama. Há trinta anos eu trabalho com Gallo, conheço sua trajetória e bem sei que não está, não esteve e jamais estaria envolvido com qualquer tipo de falcatrua. Que tem defeitos, todos temos e é um fato. O maior defeito tem sido ser líder de um governo do PT, de um prefeito que aceita doação de campanha de um barnabé como Betinho e não desconfia de onde vinha o dinheiro.
Betinho tinha chefe, que não era Gallo. Betinho cumpria ordens, que não eram de Gallo; cumpria horários que não foram fixado por Gallo. A única coisa que os uniam (e a milhares de outros servidores) é o fato de Gallo também ser um barnabé, um funcionário de carreira da Prefeitura. Nada mais. Achem quem nomeou, designou e deu ordens a Betinho e descobrirão o verdadeiro culpado. Ou culpados.