Vontade é coisa que dá e passa.

O Prefeito Rodrigo Neves, abalado com o elevado índice de rejeição ao seu governo, tenta por todos os meios se refugiar no PDT para salvar a própria pele. É verdade que se reuniu com o presidente Lupi e com Jorge Roberto Silveira.

O fato é que Rodrigo Neves vem perdendo forças desde as eleições de 2014, quando a presidente Dilma foi derrotada na cidade por Aécio Neves na eleição presidencial, mesmo com a máquina da administração municipal a favor.  Desde então, Rodrigo Neves entrou em declínio avassalador.

Começou então a articular uma saída, deixando o PT e filiando-se ao Partido Verde. Garantida essa alternativa, Rodrigo sonhou mais alto.  Começou conquistando um dos políticos de maior confiança de Jorge Roberto, o deputado Comte Bittencourt. De quebra, levou também empresários que Jorge Roberto muito  considera. Dessa forma, sedimentou os caminhos para pleitear a legenda do PDT de Niterói, pelo qual nutre, inegavelmente, grande admiração.

Agora, que as contas de Jorge foram finalmente aprovadas pelo legislativo municipal, graças ao empenho de Rodrigo Neves e Comte Bittencourt, não existe nenhuma pendência que justifique tanta proximidade.

Políticos experientes sabem que o prazo de validade de Rodrigo Neves está acabando e que dificilmente lograria se reeleger, não vão trocar a possibilidade de reconquistar a Prefeitura de Niterói para tentar salvar a pele de Rodrigo Neves.

E como fica Felipe Peixoto, que vem gastando sola de sapato, que está em campanha para ser o candidato do PDT? Penso que só pela força, pela truculência, seria feito o ingresso de Rodrigo Neves no partido fundado pelo ex-govrnador Leonel Brizola.  Ainda que assim fosse, dificilmente conseguiria se impor nas hostes do PDT, ainda  convalescendo do jogo sujo que Rodrigo Neves praticou contra Jorge Roberto em que o Morro do Bumba foi apenas um detalhe.

Somente uma mente doentia, insana, para orquestrar um movimento tão brusco na politica municipal, de instabilização geral, capaz de levar as eleições em Niterói a um salve-se quem puder.

Mais parece a Gaiola das Loucas cunhada pelo saudoso jornalista Carlos Silva em tempos idos…

Anúncios