egarrafamento

As ruas se transformaram em gigantescos estacionamentos

Protesto foi excessivo e faltou com respeito ao cidadão

Hoje, mtoristas de táxi deram um nó cego no trânsito do Rio, Niterói e Baixada. Em Niterói, os reflexos chegaram ao Largo dda Batalha, por São Francisco ou Santa Rosa.
Em protesto contra a concorência (taxista odeia que as pessoas tenham outro meio de locomoção) do aplicativo Uber, cenenas deles fecharam as saídas para os aeroportos, a ponte e à Baixada. Trafegando em comboio a baixa velocidade, ora paravam, ora partiam devagarinho pelas principis vias de acesso da capital.
O protesto foi engrossado por taxistas de Niterói e São Gonçalo, cidades que também sentiram os reflexos. No meio da manhã, gastava-se quase duas horas para atravessar a ponte. Sem contar a subida e descida dos acessos, a Ecoponte estimou esse tempo em uma hora.

taxis

Fila de táxis obstruindo os principais acessos do Rio. Foi infernal

O resultado foi catastrófico: voos perdidos, atrasos no trabalho, compromissos adiados. A estudante Rafaela Santana queixou-se por não ter chegado à UERJ: “cheguei lá na hora de voltar, perdi até uma prova que vai ser dificil fazer . O que nós temos com a queixa dos taxistas? Por que pagamos o pato?” questionou.
Em nenhum momento as autoridades aunciaram que vão multar os taxista por trafegar abaixo da velocidade mínima Os manifestantes agiram como donos da cidade enquanto população sofria.

Advertisements