Iniciativa do vereador Renato Carielo visa melhorar  relação com a comunidade

careo

Vereador Renato Carielo promove  a audiência (foto da internet)

A Câmara Municipal de Niterói vai promover na proxima segunda-feira (30/05), às 18h30min, audiência pública para debater os problemas dos moradores da Fazendinha e Cafubá, na Região Oceânica, decorrentes das obras dos túneis dos ricos, ligando Piratininga a Charitas e da Transoceânica e seu BRT.
A iniciativa é do vereador Renato Carielo (PDT), na esperança de reunir sugestões e estabelecer prioridades. Os moradores estão desconfiados pois inúmeras outras audiência púbicas foram realizadas na comunidade, na AABB, documentadas em vídeo e nada se concretizou. “Nenhuma das promessas feitas pelas autoridades se concretizou. Nosso bairro foi tomado de assalto, as ruas destruídas e sem perspectivas de melhoria”, queixou-se recentemente Larissa Viot, integrante do movimento Vizinho Solidário.
– Esperamos que seja pra valer, que as coisas comecem a acontecer no dia seguinte à reunião. Temos uma pauta de reivindicações que só cresce, pois todos os dias são identificados problemas e mais prolemas. Os moradores da Fazendinha e Cafubá não foram considerados nessas obras e é natural que estejam revoltados – informou a professora Valeria Bittencourt, que ajuda o movimento.
A expectativa de insegurança é um dos principais problemas e os moradores acreditam que por Renato Carielo ser oficial da PM uma solução pode ser encontrada imediatamente.
Além do vereador Carielo deverão participar do encontro autoridades municipais de diversos setores diretamente envolvidos nas questões do Cafubá. A entrada é franca.

TUNEL DOS RICOS
A ligação Charitas-Cafubá está sendo chamada de “Tunel para Ricos”, uma vez que não beneficia a população dos bairros da Zona Norte, Cubango, Santa Rosa, birros de Pendotiba, Cachoeira, Várzea das Moças, Rio do Ouro ou Maria Paula, que possuem opções próprias de acessi à Região Oceanica.
O pior de tudo é a construção do BRT Transoceânico, ligando o Engenho do Mato a terminal de barcas de Charitas. Salvo quem morar nas proximidades das estações, os moradores da região terão que usar as atuais linhas de onibus que servem à região para fazer integração com o BRT, e embarcrar ou desembarcar na Estação Charitas das Barcas, que cobra tarifa três vezes maior do que o percurso Praça 15-Araribóia, no Centro de Niterói.
As opções de acesso aos bairros da Região Oceânica nao passam pelos tuneis e são as seguintes: Estrada Sapê-Caramujo e Estrada da Fazendinha, ambas interligadas à Rodovia Amaral Peixoto (RJ 104), que atende aos moradores do Barreto, Fonseca, Engenhoca, Maria Paula, ila Progresso, Largo da Batalha, Cantagalo, Parque da Colina, Matapaca. Ainda resta a opção de subir a Estrada Alarico de Souza, pela Ititióca, que atende a parte do Fonseca, Cubango e Santa Rosa
Os moradores do Vital Brasil, Santa Rosa, Viradouro, Beltrão, Souza Soares, Pé Pequeno, Jardim Icaraí possuem como alternativa a Subida da Garganta até o Largo da Batalha, local em que desembocam estradas para várias ligações.
Os tuneis que mergulharam Niterói numa dívida fantástca, vaiservir apenas para quem quer pegar barcas em Charitas (e pagar rês vezes mais por isso),ara quem mora em Icaraí, São Francisco, Charitas e Jurujuba irem para Piratininga e Camboinhas. Mesmo os moradores daqueles bairros que pretendam ir aos bairros de Pendotiba os tuneis não serão a melhor opção.