Surpreendente, como sempre, artista  está impossibilitado de continuar na Terra

ivald de cachecol

Ivald Granto Filho

Ivald Granato não morreu hoje, vitimado por um enfarte fulminante. Só assim, dormindo para ser vencido com tanta facilidade. Perdeu seu corpo físico, como perderemos todos um dia, e voltou para casa, seu mundo-próprio, morada de seu genial espírito.
Viveu na terra por 65 anos, nos Campos dos Goitacás, Rio de Janeiro (UFRJ) e por último em São Paulo, mas cortejou com todos os lugares do mundo, em especial a América Latina.
Foi inspiador de Raul Sexias, o maluco beleza, precisa dzer mais nada?.
Não vou a enterros, não gosto de enterros e também não acredito na morte. Do contrário estaria ligando para Ivan, seu irmão mais velho que ele e subiria pra São Paulo.
Ivald não morreu porque é imortal por suas obras. É que a morte é apenas uma convenção humana, não alcança os maiores valores da verdadeira vida, que é a espiritual. ivald 14
Toda matéria, em especial a humana, transforma-se (nasce, cresce, floresce e fenece). Já o espirito, a força que habita os corpos, evolui, adquire mais sabedoria e compressão e não as perdem mais, nem com a desencarnação, do contrário continuaríamos homens das cavernas.
Grande peça nos pegou Ivald Granato Filho. Faço ideia a tristeza que acomete a tantos amigos e admiradores. Mas, Ivald foi generoso até na morte. Deixou no Facebook uma espécie de “Melhores Momentos” de sua criação. Vou lá, salvar tudo para mim. São centenas de imagens espetaculares.
Da familia só conheci o Ivan, advogado sagaz e brincalhão, de coração mole e que ficou pelos Campos matando um leão por dia. E por seu intermédio, dileto amigo, expresso meu pesar pelo prematuro desenlace e conforta-me saber que a gente não morre nunca, por mais que queiram.

 

Eis aqui parte do curriculum que Ivald escreveu:

1949
  • Nasce em Campos – RJ
  • Vive em sua cidade Natal até 1966, onde começou a desenhar desde muito cedo, por influência dos pintores cubistas
1966
  • Estuda com Robert Newman
1967
  • Ingressa na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro
1968
  • Participa de manifestação sobre o surrealismo na dança espírita
1969
  • Ganha prêmio sobre dança surrealista
1970
  • Viaja pela América Latina onde estudou cores
1970
  • Desenvolve manifestação que reuniu dez mil pessoas em praça pública com movimentos de artes plásticas, música, teatro e seu casamento
1973
  • Dá aulas na Escola Documenta, formando o grupo Gral (Astarde – Lia Amaral – Gretta e Rosa)
1973
  • Faz, com Otávio Pereira, uma suíte de 22 imagens de litografias
1974
  • Lança “Procura-se”- projeto marginal
1974
  • Participa de manifestação com banda musical e distribuição de impressos – SP
1974
  • Participa de “Manifestação Veloz Man” – SP
1975
  • Envia “Impressos board e bicho verm”
1975
  • Viaja para Europa e mostra a “Mala Amarela”. Circuito de 10 galerias
1975
  • Propõe manifestação para Amsterdã “Proposicion nº 1”
  • Envia, de Paris, congratulações a L’avant Garde Bresilienne
1976
  • Viaja para Europa, envia Bordy com documentário por Seis países!
  • Cria a Granato’s production
  • Desenvolve o manifesto Plural, recusado pelo Prof. Walter Zanini, após um convite feito ao artista para uma mostra em Michigan, só aceitando o conceitual já ligado a corrente da época
  • Lança um Manifesto “Artista em busca da profissão”
  • Propõe seção devolução – 15 envios
1977
  • Scrochett. Propõe sua imagem hoje
  • “Art is myself”
  • “Adote um artista, não deixe ele virar professor”- tiragem de 2000 exemplares
  • Coleção de inverno. Proposta inversão de imagem.
  • Animação litográfica – Stúdio Tucuita
  • Produção da exposição “Os clóvis vêm aí” – Aloízio Zaluar Centro de Psicologia Moderna
  • Leitura Caos – Consciente – Controlado
1978
  • Produz os “Mitos vadios”- art performance – evento
1979
  • Produz a exposição Ziembinsky, juntamente com o Gabinete de Artes Gráficas
  • Conclui o livro 14 anos art de performance
  • Produz e participa da mostra de espaço alternativo
  • “My name is Glória” – arte cartaz
  • Edita a 1ª revista de psicodrama Fedrap, junto com Massao Ohno
  • Manifesto Beuys
1980
  • Programa de arte na televisão – produção
1981
  • Realiza Painel em Búzios – RJ
  • Edita, junto com Marcelo e Anibal, o “Peru Molhado” – Jornal de Búzios
  • Intensifica o trabalho na pintura pluralista
1983
  • Faz série de 18 desenhos que constituem o “Prêmio Sintonia”, atribuído pelo Centro de Rádio
  • “Roupa como arte” – faz 62 modelos das camisetas Vogue
  • Litografia – Arte Selvagem
  • Programação gráfica do 1º disco a cores no Brasil
  • Faz o cenário, cartaz e complementos gráficos para o show “Kaos – o novo amanhecer”
  • Organização e direção de palco do show “Kaos – o novo amanhecer”
  • Faz a apresentação do artista plástico Ivan Kudrna para a exposição do Museu da Casa Brasileira
  • Faz apresentação de Pitanga do Amparo para o Simpósio de Arquitetura e Urbanismo em Buenos Aires
  • Pintura do Painel sobre “Os Direitos Humanos”- Centro Cultural de São Paulo
  • Recebe convite para a exposição itinerante “Cor e Desenho do Brasil”, que percorreu, em 84, a Espanha, França, Inglaterra e Bélgica
1984
  • Participa da “1 Bienal de La Habana”
  • Participa da “4 Bienal Iberoamericana de Arte”, na Cidade do México em julho/agosto de 1984 .
  • Expõe na Galeria Maeder, em Munique, Alemanha.
  • Faz Performances em Munique e Balileia (Suiça) .
  • Lança os adesivos “top Secret”/ “Gaiato”/ “Moderne Kunst”/ “Ivald Granato in Performance” .
  • Entrega de prêmio aos premiados do Salão Paulista.
  • Faz capa para o jornal Folha de São Paulo – Campanha das Diretas Já.
  • Faz painel com mais oito artistas para a campanha do presidente da Nova República.
  • Vídeo colagem de alunos da Faap.
1985
  • Realiza capa de disco do Trio Elétrico.
  • Lança Bandeira – Cristal – Nova República.
  • Doação do Painel “Viva a Pintura” – M.A.M. – São Paulo/SP.
  • Doação Rio – Solidariedade ao México.
  • Pinta bandeira Fernando Henrique Cardoso – SP – Setembro.
  • Capa Veja, encarte especial São Paulo.
  • Produção Vídeo Non Plus Ultra Tudo.
1986
  • Homenagem a Picasso – Desenho – Capa da Around nº 29.
  • Faz desenhos especiais para casa. A moda vista por Granato – Capa da Folha de São Paulo.
  • Faz o ensaio fotográfico Granato Velho ( Pablo de Giulio).
1987
  • Debate jubileu de Prata – Arte e o Inconsciente – Campos.
  • Perfil – Veja São Paulo.
  • Capa do livro “Mercados e Leilões” de Julio Louzada.
  • Calendário Prológica – SP.
  • Doação de uma obra para a produção do Teatro Performance “Espelho Vivo” – baseado na obra do pintor surrealista Magritte.
  • Recebe 60 crianças da seis série da Escola Maria Imaculada no atelier
  • Participa do programa piloto eureka na TV Cultura
  • Minha Cidade – “Toques de artista nos segredos do samba” – Playboy – São Paulo.
  • Entrevista no programa de rádio da Cultura AM – as melhores músicas de sua vida.
1988
  • Fausto Silva – participação Jorge Mautner. Pintura de papel.
  • TV Mix – presença da escultura e diálogo por telefone.
  • Festa de Barcelona: Exposição Zaragoza,Gerchman, Granato, Renata Barros – Ane Curmelha.
  • Curso de aquarelas – Guaratinguetá. Centro de Cultura Rodrigues Alves.
  • Recebe convite para fazer o carnaval de Madrid em 1989 com Rubens Gerchman.
1989
  • Viaja a Europa para mostras de esculturas – Galeria Maeder – Alemanha.
  • Termina suite de gravuras em metal no atelier – Claudio X Marcelo.
  • Ilustrações para o lançamento da revista “WE”.
  • Série de porcelanas para mesa.
  • Arte em Jornal – Jornal da Tarde
  • Projeto do Painel Eletrônico (Anhangabaú) – Bienal de São Paulo.
1990
  • Participação de mesa Redonda – Futebol 90 – TV Cultura – SP.
  • Pintura de Painéis para Vídeo comemorativo dos 70 anos da Folha de São Paulo.
  • Prêmio melhor ilustrador do ano – Editora Abril.
  • Pantanal – Sete Visões – Brasília/Rio/São Paulo.
  • Participação da um Trienal de Osaka, Japão.
1991
  • Prêmio Aquisição para sua tela “Atakem” – 1a Trienal de Osaka, Japão,
1997
  • Projeto Vitrine Petrobrás.
1998
  • Produz o cheque cardápio.
  • III Mostra Nacional de Vitrines.
1999
  • “Projeto Kibom” Arte Pintura Temática, Coletiva.
  • “Projeto Telefônica” 600 gravuras especiais para lançamento da fibra ótica.
  • Viaja para Espanha para estudar a pintura do seculo XVII. E a producão contemporanea.
2000
  • Entra no acervo do Bar LE KOQ. Famoso bar de Madri aberto há oitenta anos e frequentado por vários artistas e intelectuais, com um famoso acervo de seus habitues. Pintando seu símbolo “O galo”.
2001
2002
  • Recebe em Campos sua Cidade Natal .uma homenagem da Folha da Manha.Pelo destaque da sua obra no período de 35 anos de atividade artística.
Anúncios