Archives for category: Câmara

É A CONCLUSÃO DO PARECER DO RELATOR SÉRGIO ZVEITER, ACEITANDO AS DENÚNIAS DE JANOT

ZVEITER

Sérgio Zveiter abre caminho para afastar temer

No que depender do Deputado Federal Sérgio Zveiter, relator da CCJ da Câmara, a casa deve sim autorizar que o presidente Michel Temer responda ao processo aberto no Suprem Tribunal Federal.

Ontem, o relator – que já tinha opinião formada a respeito do tema-concluiu seu parecer, tendo inclusive uma assessoria ilustre, a do pai, o ex-Ministro Waldemar Zveiter, que já foi presidente do STJ e é considerado um dos juristas mais notáveis do Brasil.

Como vai ter que ler o parecer no plenário da CCJ, Sérgio Zveiter não se deteve a “encherão de linguiça”. Quem leu a minuta do relatório disse que “é sucinto, mas uma verdadeira tese de direito, que alerta para a independência entre os poderes da República e diz que os argumentos e provas apresentados pelo Procurador-geral, Rodrigo Junto, são da mais alta gravidade. ”

Deputados da CCJ favoráveis ao processo, citam que o próprio Michel Temer, no discurso em e que gritou “não renunciarei”, salientou eque queria ser processado pelo STF, dizendo ser o local ideal para provar sua inocência.

Agora, a julgar pelo esforço que depreende para impedir o processo, percebe-se que Temer mentiu. De movo.

 

 

A

 

 

Anúncios

SUPLENTE TEM QUE TER PELO MENOS 10% DE VOTOS DO QUOCIENTE ELEITORAL

Os candidatos a vereador em Niterói para se eleger precisam obter no minimo 1 mil 300 votos e a soma dos votos do partido ou coligação beirar os 13 mil, que deve ser   o quociente eleitoral. . Ainda que um partido ou coligação tenha direito a eleger vereador por alcançar o quociente, se na chapa só tiver candidatos de 1 mil 200 votos para baixo, ninguém será eleito.
A novidade está preocupando os partidos nanicos, que julgavam fazer vereador com poucos votos. Da mesma forma partidos com puxadores de votos. Somente será considerado suplente quem obtiver 10% dos votos do quociente eleitoral, que oscilará em torno d 13 mil votos em Niterói.
Partidos nanicos, pelo qual concorram candidatos que nas ultimas eleições obtiveram menos de 1 mil 300 votos, se repetirem a votação, ainda que alcancem quociente eleitoral pra eleger dois vereadores, não farão nenhum. Somente um canddato que obtiver pelo menos 10% do total de votos do quociente eleitoral. Pela nova regra, ainda que o partido ou coligação tenha direito a uma cadeira esta somente será ocupada por tem tiver o numero mínimo de votos.
Uma liminar foi concedida no STF, pelo Ministro Dias Toffili (foto acima, à direit) em ação proposta elo Procurador Rodrigo (foto à esquerda) Janot contra a nova sistemática, na verdade uma cláusula de barreira que vis impedir que puxadores de votos possam eleger parlamentares com poucos votos, como correu com Enéas (Prona), Tiririca e oCelso Russomano todos em São Paulo, ou Jair Bolsonaro e Clarissa Garotinho, que tiveram votos para eleger pelo menos mais dois deputados federais.

Ex-Ministro foi o primeiro a desembarcar do Governo 

moreira

Moreira Franco abriu caminho para afastamento de Dilma

O ex-Governador Moreira Franco (PMDB/RJ), em entrevista ao jornal EXPRESSÃO OCEÂNICA eenca as razões para que a Presidente Dilma Rousseff seja afastada da Presidencia da Republica. Ele foi o representante do PMDB na campanha Dilma-Temer e ex-ministro da Aviação no governo do PT e o primeiro a discordar dos métodos de Dilma, Lua e do PT e  entregou o cargo.

Há quem assegure que Moreira Franco sera o politico de maior influencia num eventual governo de Michel Temer. Cnheça o pensamento deste líder fluminense:

Por que ser a favor ou contra o impeachment da presidente Dilma?

O primeiro grande problema do Brasil é a economia; o segundo é a economia; e o terceiro é a economia. As pessoas estão perdendo o emprego, perdendo conquistas sociais obtidas nos últimos anos. A inflação cresce, o governo continua com a gastança desenfreadas comprometendo as contas publicas. Todos os setores da economia brasileira estão desorganizados. O estado do Rio de Janeiro a questão da Lava Jato, a roubalheira na Petrobras fizeram com que toda a cadeia de óleo e gás fosse comprometida gerando desemprego em cidades como Itaboraí, Macaé e no próprio município de Campo. Em outros estados do Brasil a mesma coisa: as contas dos estados foram prejudicadas, ou seja, a economia brasileira está em um estado de falência total, os municípios quebrados, estados quebrados e a união atrasando, inclusive, está cortando os programas sociais que garantem a vida, a sobrevivência de milhões de brasileiros por falta de recursos financeiros. Nessas circunstâncias não há outro caminho a não ser ter uma visão com uma avaliação rigorosa dos erros cometidos pelo governo também quanto ao desrespeito a responsabilidade fiscal. Quando o governo resolveu gastar demais, e comprometeu os bancos públicos como fez mascarando as contas públicas, adiou o problema para continuar fazendo a gastança e isso que gerou este quadro de desacerto econômico que nos vivemos. Hoje nós temos a Dilma contra o Brasil, o Brasil está nas ruas pedindo o impeachment da presidente.

Como a provação do relatório da Comissão do Impeachment por 38 a 27 votos pode influenciar a votação no Plenário da Câmara dos Deputados?

Uma vitória, uma vitória em uma Comissão que foi dita pelo governo como dela, montada por ela, com regras que foram avaliadas pelo governo capazes de beneficiar o governo, eles sempre viram ali um fórum para afirmar a vitória e saíram perdidos, derrotados e para que se ali na Comissão a posição favorável ao impeachment obtivesse dois terços dos integrantes faltavam só quatro votos. Foi uma grande derrota ao governo.

O senhor acredita que o mesmo fenômeno que houve na época das votações Diretas Já, em que as ausências comprometeram a aprovação da Emenda Constitucional, pode ocorrer dessa vez e prejudicar a votação?

O governo vai jogar todas as forças como está jogando e, evidentemente, a oposição, brasileiros, sobretudo cidadãos brasileiros, eleitores brasileiros vai estar atento ao seu deputado.

E em relação ao Senado, o senhor enxerga que o impeachment passa por lá apesar do presidente Renan Calheiros ser um aliado da Dilma?

Acho que sim, acho que o Senado, passando na Câmara, não vai barrar.

E se a Dilma ficar, como é que ela vai governar diante de uma base parlamentar pequena e ao mesmo tempo tantos brasileiros desempregados?

Acrescento mais: com nove pedidos de impeachment para ser decididos na Câmara dos Deputados e uma determinação do Supremo Tribunal Federal que o presidente da Câmara é obrigado a colocar os pedidos de impeachment em pauta e formar as comissões. Nós vamos ficar esse tempo todo a cuidar, a ver a Câmara discutindo impeachment da presidente Dilma.

E em um eventual governo Temer, como enfrentar a oposição do PT e dos movimentos sociais?

Ainda não existe governo Temer, então prefiro trabalhar com fatos e não com hipótese.

E em relação ao TSE, que ainda pode caçar a chapa Dilma-Temer, pode gerar ainda consequências… O senhor avalia que esse processo deve ser julgado nos próximos meses?

Não sei quando vai ser julgado, mas agora do ponto de vista legal, a chapa não praticou ilícito. O ilícito praticado nas contas ou está em uma campanha ou está em outra companha ou pode estar até nas duas, mas uma não contamina a outra por consequência. O crime que se procura é por origem de dinheiro decorrente a corrupção, ou seja, lavagem de dinheiro com doação formal. A equipe financeira da campanha do presidente é diferente da equipe financeira da campanha do vice presidente. As contas são prestadas autonomamente, eventualmente vai ter uma avaliação para ver se teve recursos de origem ilícitas da campanha da presidente foi repassada para a do vice, as informações que temos aqui, não houve. As doações dadas ao tesoureiro da campanha do vice presidente foram doações absolutamente legais.

Na América do Sul tem acontecidos fenômenos em que a esquerda tem perdido espaço. Isso é o que tem gerado o fim do “lulupetismo” no Brasil?

Não, eu acho que é um problema local, decorrente de uma realidade local, de uma crise econômica, que foi provocados por uma crise de erros internos num ambiente esterno hostil. Mas os erros foram cometidos aqui são problemas que o governo criou e o governo não está conseguindo resolver. O povo viu que o governo praticou atentado a determinadas regras legais, além de uma gestão temerária e muito fraca na economia.

Ciro Nogueira

Ciro, presidente do PP, anunciou a debandada, não d´mais pra segurar

É a pá de cal.
O Partido Progressista – PP – aliado de Dima até a morte parece ter reconhecido a hora de abandonar o defunto. Anunciará ainda hoje (12/4) que não vai apoiar mais o governo do PT. Com io, são 47 votos a mais a favor do impeachmen da presidente. O anuncio foi feio por seu presidente, Ciro Nogueira.
A debandada do PP veio após fracassarem as tentativas de receber antecipadamnte os benefícios prometidos por Lula os seus deputados e senadores num hotel de Brasília. O PP gnaria ministérios, cargos e lgumas coisitas mas”, porém só depois da votação. Então, desembarcaram todos.

dornelles

Governador em Exercício do Rio, Francisco Dornelles, presidente de honra do PP lavou as mãos. Também ta fora

Com isso, aumentam as chances de Dilma renunciar até sexta-feira.
Isso é que é furo nacional

chico alencar

Chico Alencar (E) vem apoiar Serafini (D) em Niterói

Candidatos a Prefeito apostam em apoio externo.

Nas eleições para Prefeito de Niterói, haverá uma disputa externa de votos. Politicos bem votados em Niterói articulam-se para apoiar seus afilhados.

Jair Bolsonaro (PP-RJ) é visto no plenário do Senado

Deputado Jair Bolsonaro vai apoiar o xerife Antonio Rayol, do PSDB

Vão se confrontar o deputado Jair Bosonaro (apoiando o delegado federal Antonio Rayol), o Senador Romário (com Felipe Peixoto) o dputado Chico Alencar (cm Flávio Serafini) e Jorge Roberto Silveira, que tende apoiar Rodrigo Neves.

romario

Romário não precisa treinar e vai jogar o tempo todo a favor de Felipe Peixoto

Bolsonaro e Romário foram osmais votados na cidade. Chico Alencar teve mais votos que Serafini e Jorge Roberto é o xodó da cidade. JR é bom de voto, mas em matéria de transferênia é um fracasso. Sua ultima “disputa” foi com João Sampaio, que perdeu para Godofredo e Moreira Franco.

jorge roerto

Jorge Roberto, mais experiente, vai emprestar seu apoio a Rodrigo Neves

Jaair Bolsonaro, sim, é um transferidor de votos. Tanto que elegeu os filhos, um para vereador no Rio e outro deputado na Alerj. Sem contar que sozinho obteve votos para eleger outros três deputados federais.
O baixinho Romário já mandou avisar: não quer saber de treino, só vai “entrar em campo” na hora que o jogo começar de verdade. Ele percorrerá o Estado pedindo votos para os candidatos do PSB.

DOBRADINHA TEM DNA DO PT, ONDE COMEÇARAM  VIDA POLITICA

tania]

Deputada Tânia Rodrigues tem o DNA do PT também

A deputada estadual Tânia Rodrigues, do PDT, será indicada para o cargo de vice-prefeita na chapa de Rodrigo Neves. Esta vai ser a escolha de Jorge Roberto Silveira, chefe do partido em Niterói. Volta a ser editada uma aliança PT-PDT que outrora foi costurada por Jorge e Rodrigo no, ano 2000, só gora englobada por  mais de uma dezena de partidos. Com a composição, Rodrigo Neves espera vencer no primeiro turno e liquidar a fatura.

A indicação de Tania desagradaria o Deputado Comte Bittencourt, do PPS, um esforçado aliado de Jorge Roberto Silveira, que estava de olho na vaga. Caso Comte manifeste contrariedade, tudo pode mudar. Nesse caso, Jorge Roberto sairia candidato a prefeito tendo Comte como vice, hipótese que apavora o prefeito Rodrigo Neves, que trabalha e torce para que tudo acabe bem. A se confirmar o projeto de Rodrigo Neves sir em 2018 para concorrer a governador, Tânia ser´prefeita.

Não demorou muito para que o PDT tornasse Felipe Peixoto página virada no partido. Ontem mesmo já se cogitavam nomes do PDT para cargos na administração municipal e o aproveitamento de militantes em cargos em comissão. No entanto era visível o descontentamento de alguns, em especial da ala de militantes ligados ao ex-prefeito João Sampaio, de quem Felipe mais se aproximou.

Jorge Roberto Silveira deve promover uma reunião com as bases e acomodar a vida de todos. Como sempre fez.

 

 

EX-CANDIDATO DISPARA METRALHADORA GIRATÓRIA E AMEAÇA DELATAR GERAL

wowlney

Wolney está cusindo fogo

Ao acrescentar mais um “ex” no seu currculo, Wolney se diz usado feito papel higiênico, dos dois lados Trindade saiu da disputa para a Prefeitura de Niterói gastando munição. Não poupou ninguém com sua metralhadora giratória, cuspindo raiva para todos os lados. Ele tinha como certa a vitória, considerando a elevada rejeição de Rodrigo Neves e a falta de experiência dos demais candidatos.

garotinho

Ex-governador Anthony Garotinho, dono do PR no RJ, preferiu ajudar Rodrigo Neves

Fizeram uma sacanagem comigo. Eu estava quieto no meu canto, não queria mais saber de política. Ofereceram-me muitos partidos, mas depois recuavam. Estive com o pé no PTB, mas o partido foi “comprado” pelo prefeito. Até que apareceu o PR, de Garotinho.

Antes de mergulhar de cabeça no PR, l Wolney ouviu as bases, buscou conselhos e até apoios político-financeiro. Botou uma casa pra vender para levantar recursos. Filiou-se ao PR e caiu em campo anunciando suas metas e prospetos. Empenhou-se em formar uma chapa para a Câmara Municipal.

Na qualidade de tocador das obras de Moreira Franco na cidade, Wolney tinha em mente concluir o que ficou faltando, a duplicação das estradas, a revitalização do Centro, prometida pelo PT e que não saiu do papel, a construção da Linha Azul.

Prometeu lutar contra a construção do Hipermercado Mundial na Rua Mário Viana, escaldado que estava acerca dos transtornos que o Supermercado Guanabara causou ao trânsito no Centro. “A Mário Viana não comporta um hipermercado. O trânsito ali vai parar, especialmente as linhas de ônibus que descem de Pendotiba e Piratininga. Curioso é que a licença do Guanabara foi dada num governo do PT, por Godofredo; e o do Mundial pelo petista Rodrigo Neves”.

Wolney acha que o partido foi negociado com Rodrigo, de modo a não lançar candidato e a apoiá-lo desde já. Ele não sabe onde vai enfiar a cara. “Fiz muitas reuniões, firmei compromisso, me comprometi com candidatos a vereador, tava vendendo uma casa, o carro e tudo para bancar a capanha. O que eu digo a esses apoiadores? Foi uma decepção muito grande parta mim e os eleitores, que ficaram sem opção – completou.

O ex-deputado ainda não sabe o rumo que irá tomar. Está desnorteado, aturdido, acusou o golpe. “Estou nocauteado, fui apunhalado pelas costas. Estou me sentindo um papel higiênico usado dos dois lados, sem reação, com nojo dos donos dos partidos”.

 

 

Presideente do Solidariedade não diz que sim, mas também não nega

Paulo Bagueira está bem nas pesquisas

Paulo Bagueira está bem nas pesquisas

O jornal EXPRESSÃO OCEÂNICA qu circula na próxima semana publicará reportagem dando conta de que o vereador e presidente da Câmara Municipal de Niterói, Paulo Bagueira, poderá ser lançado candidato a prefeito da cidade. Conta a seu favor pesquisa de opinião indicando que é grande a rejeição ao nome do prefeito Rodrgo Neves e ao Partido dos Traalhadores..
O primeiro sinal de insatisfação da base ccom o prefeito já foi dado: a pauta da Camara está trancada, não se vota nenhuma matéria de interesse do preeito. Quem tira proveito da situação é o vereador de oposição Bruno Lessa, que aroveita para encher a pauta com “Requerimentos-Bomba”.O ambiene é profícuo para emplacar proposições que obriguem o prefeito a prestar esclarecimentos sobre asuntos ocultos sigilosos, ocultos do público.

BAGUEIRA DESCONVERSA
Paulo Bagueira não confirma nem nega, disse apenas que está “na bae de aoio ao governo, no momento preocupado em montar a nominata de candidatos proporcionais. Coo presidente do Solidariedade de Niterói é essa a minha preocupação no momento”, informou por intermédio de sua assessoria.Reparem que sequer o nome de Rodrigo Neves parece no texto. Bagueira fa referência apenas ao governo.
Mas a pressão é grande, Insatisfeita, a base está disposta caminhar com Bagueira. Tanto que apóia integralmene o trancaento da pauta.
Para o líder do governo, vereador Gallo, “trata-se de uma especulação sem pé nem cabeça, rebedia de momento. Logo, logo tudo se ajeita, a base estará unida em torno de Rodrigo. Mas se você quer sber (o repórter), PBagueira é um nome ue honra e dignifica a cidade e possui todas as credenciais para ser prefeito. Mas agora é hora de da a Rodrigo condições de acabar a obra qu começou”.

Lava-Jato: Gallo pede a Moro para pagar aos 15 rmil operários  demitidos em Niterói

A Câmara Municipal de Niterói encaminhará nos próximos dias pedido ao Juiz Sérgio Moro, da Lava-Jato, para que o dinheiro recuperado na operação seja prioritaiamente destinado à formação de um fundo de assistênccia imediata aos milhares de trablalhadores de estaleiros quee estão sem receber salários desde ue a crise começou.
– Famílias bem estruturadas desmoronaram da noite pro dia. Seus chefes trabalharam e não receberam nada. Estão com a luz e a água ccortados, o consumo de remédios aumenou, falta comida na me sa dessa gente. Só em Niterói, são 15 mil trabalhadores em situação de miséria. “Estamos apelando ao Juiz Sérgio Moro para que ao invé de destinar todo dinheiro recuperado para a Petrobrás, uma parte seja usada prioritariamente para socorer esses operários – disse Gallo.

Mihares de trabalhadores trabaharam para a Petrobrás e não receberam

Mihares de trabalhadores trabaharam para a Petrobrás e não receberam

O vereador, autor de inumeras leis que aumentaram a qualidade de vidaa dos moradores de Niterói, propõe que, em âmbito nacional, seja criada uma lei para assegurar que os trabalhadores tem prioidade no recebimento de dinheiro devlvdo na Justiça. Hoje, ele pedirá ao residente da Câmara, Paulo Bagueira, que coloque em votação Requerimento propondo ao Juz Sérgio Moro que, por ofício, determine que parte do dinheio seja reservado e entregue aos funcionário dos estaleiros.

galloooo
– Só a Camargo Correia se comprometeu a devolver quase R$ 800 mihões pelo aacordo de leniência. Até agora, mais de R$ 2 bilhões fram recuperados. Não faz sentido atender apenas aos interesses d Peetrobrás, que foi tungada sim, mas os trabahadores, qu em ultima análise prestram serviços à Petrobrás fiquem a deusdará. Bem ou mal, a Petrobrás tem fonte de receita, enquanto os trabalhadores estão à mingua – isse. E ompletou.
“Esse pessoal sequer percebeu que poderia ocorrer demissão no stor, que ia de vento em popa, contratando mais e mais, crescendo dia a dia. De repente, o mundo dsaba. Nõ receberm os lários, os direitos trabalhaistas, nada, nada”.
Gallo explicou por que não inccluiu os trabalhadores do Comperj entre os beneficiaddos. “Somos de Niterói, só conhecemos a realidade daqui, que é gravísima. Num primeiro momeno, temos a obrigação de defende nosos opeários, pois todos setores estão seno prejudicados, de uma forma ou de outra” concluiu.estaleiro

SUPLENTE ENTROU DE GAIATO  NA MORTE DE LÚCIO DO NEVADA –

Carlos \macedo a direita) com seu advogado, Paulo Ramalho - Foto de O Fluminense na internet

Carlos Macedo (à direita) com seu advogado, Paulo Ramalho – Foto de O Fluminense na internet

A ultima Audiência de Instrução de Julgamento que apura o assassinato do vereador-eleito Lúcio do Nevada, em outubro de 2012, em Niterói, deixou duas evidências fortissimas no ar: o processo que corre na Justiça é completamente diverso do noticiário produzido pela imprensa e reproduzido na internet; e que Carlos Macedo, primeiro-suplente de Nevada, entrou de gaiato no navio.

Fazendo lembrar o episódio da Escola Base, ocorrido há 20 anos em São Paulo, o processo contra Carlos Macedo, acusado de ter sido o mandante do crime, nada consegue provar. Não existem gravações que envolvam o vereador na trama, nem confissões e provas, tampouco gravações que o envolvam. Até um susposto rastreamento de telefonema que o delegado disse ter sido feito do interior da Câmara não ficou provado. Poderia ter sido até do gabinete de algum juiz, pois o Forum de Niterói fica na mesma área geográfica indicada pela operadora do sinal do celular, cujo numero foi fornecidopela viúva de Nevada.
Restou provado, portanto, que não houve quebra de decoro por parte de Carlos Macedo ou que a trama tivesse sido feita em seu gabinete. Ainda assim, o legislativo procura chifre em cabeça de burro para tentar cassar o mandato de Carlos Macedo, embalado pela campanha à la “Escola Base” que pode custar muito caro ao município.
Carlos Macedo, com quase 30 anos de vida pública, foi linchado pela imprensa abastecida por um delegado que não conseguiu provar nada em seu depoimento perante à Juiza. Não há firmeza nas acusações, não se apresentou provas e até as testemunhas arroladas pelo Ministério Público nada disseram sobre a participação do suplente na morte do titular. Muito pelo contrário, não o ligaram ao crime.
No âmbito do Legislativo outra alternativa não resta senão concluir que nada restou provado sobre falta de decorro, se até em plano criminal o processo caminha para a exclusão de Macedo da denuncia.
O que existe em abundância são contradições entre o que existe nos autos e o que foi publicado pela imprensa. Há pontos obscuros que nunca foram investigados, como milionárias apólices de seguro em favor da viúva de Nevada e a compra por Nevada de uma empresa que logo depois venceu uma concorrência milionária para prestar serviços à Petrobrás.

AFINAL, QUEM MATOU LUCIO DO NEVAD???

AFINAL, QUEM MATOU LUCIO DO NEVAD???

Porém, o depoimento mais ridículo foi o da viúva, dizendo que o assassino ligou várias vezes para a casa dela procurando Lúcio sugerindo ser ameaças e que gravou bem o número do celular que pertence a um dos acusados.
Quanta inocência para um matador profissional, dar pistas de que pretende matar alguém…
Como todo crime tem uma motivação, mais fácil foi montar uma farsa em torno de Carlos Macedo, beneficiário direto, além da esposa e os sócios da empresa que Lúcio comprara.
Desde longe, conhecendo a trajetória de Macedo, duvidei que fosse capaz de matar alguém, quanto mais o titular de um mandato eletivo se ele mesmo seria o “todo poderoso” da administração municipal.
O que está claro é que Carlos Macedo além de não participar não usou a Câmara para incorrer em falta de decoro. Se amanhã ficar provado que algum assessor porralouca está envolvido, que culpa ele tem? Demita-se o funcionário, que traiu a sua confiança de quem necessitava para trabalhos legislativos.
Como cassar Macedo se nem a Justiça o fez? Como o condenar se não houve trânsito em julgado? Como provar sua culpa se nem provas existem nos autos?