Archives for posts with tag: eleições em niterói

 

Prefeito não teve competência para vencer  no primeiro turno

Nem com a máquina  da Prefeitura e enfrentando adversários sem recursos Rodrigo Neves conseguiu votos suficientes para ganhar as eleições em Niterói. Ficou com apenas 47% dos votos validos, muito longe do que o que diziam as pesquisas, onde figurava com cerca de 60% dos votos. Montou uma espécie de rolo-compressor, financiado pelo preso da lava jato, Ricardo Pessoa, empresários da construção civil, dos transportes, da educação, mas nem assim teve folego e competência para matar a eleição que tinha contornos de segundo turno. Rodrigo Neves conseguiu o impossível: não vencer no primeiro turno. A decisão foi tomada pelo eleitorado de Niterói, contrariando as expectativas de seus adversários, que tinham admitido a derrota no primeiro turno.

O segundo turno será um salve-se quem puder, sem a participação de vereadores derrotados e candidatos a câmara sem nenhum outro estímulo. Foi uma covardia a superioridade da boca de urna e da militância de Rodrigo Neves nas ruas. Não se via nenhum material de seus adversários. A propaganda dele era predominante. Se tivesse que ganhar, Rodrigo Neves ganharia no primeiro turno.

Nem com a máquina da Prefeitura e enfrentando adversários sem recursos Rodrigo Neves conseguiu votos suficientes para ganhar as eleições em Niterói. Ficou com apenas 47% dos votos validos, muito longe do que o que diziam as pesquisas, onde figurava com cerca de 60% dos votos. Montou uma espécie de rolo-compressor, financiado pelo preso da lava jato, Ricardo Pessoa, empresários da construção civil, dos transportes, da educação, mas nem assim teve folego e competência para matar a eleição que tinha contornos de segundo turno. Rodrigo Neves conseguiu o impossível: não vencer no primeiro turno. A decisão foi tomada pelo eleitorado de Niterói, contrariando as expectativas de seus adversários, que tinham admitido a derrota no primeiro turno.

O segundo turno será um salve-se quem puder, sem a participação de vereadores derrotados e candidatos a câmara sem nenhum outro estímulo. Foi uma covardia a superioridade da boca de urna e da militância de Rodrigo Neves nas ruas. Não se via nenhum material de seus adversários. A propaganda dele era predominante. Se tivesse que ganhar, Rodrigo Neves ganharia no primeiro turno.

Reegião Ocenica reprovou a admnistrçõ de Rodrigo Neves, suas alianças e jogadas para confundir os eleitores, mudando de partido ao apagar das luzes.

 

 

Delegado Rayol vai ajudar a derrotar Rodrigo Neves. Como no combate ao crime, quer por fim à farsa do governo do PT


Por Paulo Freitas – O delegado federal Antonio Rayol, do PSDB,vai abrir
mão de sua candidatura a Prefeito de Niterói e  será indicado pelo partido para vice-prefeito na chapa de Felipe Peixoto (PSB). Essa possibilidade foi admitida pelo ex-deputado Silvio Lessa, presidente do PSDB em Niterói e articulador da pré-campanha de Rayol.
– É uma tendência – foi udo o que disse o líder do PSDB na Câmara Municipal, vereador Bruno Lssa, filho de Silvio, sem negar nem confirmar. Nos últimos dias, todos tem se reunido e alinhava os rumos ue deve tomar a coligação e traçando projetos para uma eventual vitória no primeiro turno, com ênfase na segurança pública, saúde e educação.
Rayol é um policial de elite que chegou aos maiores níveeis na Policia Federal. Caberá a ele desenvolver a política de segurança pública para a cidade de modo a frear a violência que aumentou no governo de Rodrigo Neves. Sobre a composição com o PSB de Romário e Felipe, Silvio Lessa já havia se manifestado em entrevista ao repórter Andeson Madeira:
– Precisamos nos unir já para vencer o petismo em Niterói. Felipe e Rayol representam a nova politica, tem novos horizontes e tem os mesmos ideais de honra e dignidade. Natural que acabassem  se juntando em pról  do melhor para a cidade – anunciou Silvio Lessa em matéria do diário “A Tribuna”, de Niterói.
No contexto da aliança, o delegado Antonio Rayol irá comandar toda politica de segurança pública de um eventual governo de Felipe Peixoto. Ele obteve a certeza de irrestrito apoio às propostas que vinha defendendo, como a do aniquilamento do tráfico de drogas via o combate à dependência e formação centros de acolhida de viciados.

CENTROS DE RECUPERAÇÃO

Como não existem centros públicos para recuperação de drogados, a idéia de Rayol é criar vários deles Onde houver necessidade, onde o tráfico se mostrar soberano, a prefeitura vai atuar, tirando dependentes do vicio e impedindo que outros entrem.
A maior parte dos crimes praticados n cidade está relacionada com o tráfico de drogas. Rayol propõe que a Prefeitura e outros órgãos trabalhem na assistencia aos viciados e desenvolvam programas de erradicação da dependência química na cidade. Só desse modo, sem consumidor, as drogas deixariam de represesentar o braço do crime na cidade.
Rayol deverá ser o super-secretário de Felipe, encarregado de implantar r todos os programas que havia elaborado para sua campanha, caso fosse concorrer pelo PSDB. Todos os compromissos assumidos na pré-campanha de Antonio Rayol serão cumpridos por ele mesmo.

Em recente publicação nas redes sociais, o Delegado Rayol denunciou  que existe um conluio entre traficantes e politicos de Niteói, associando o aumento da violência na cidade à promiscuidade entre o crime organizado e agentes políticos.

Políticos revelam certo alívio com aliança do PDT


“Eu já sabia”. Foi com esta expressão sem surpresa que o pré-candidato Felipe Peixoto reagiu a notícia da “Grande Aliança” formada pelo PDT . Felipe, que trocou o PDT pelo PSB, reagiu às criticas dos caciques pedetistas ao anunciar a aliança em torno de Rodrigo Neves, do PV nas próximas eleições.

– Eu tanto sabia que saí do partido. Fiquei triste porque depois de tantos anos na cidade foi fazer aliança justamente com o que há de mais atrasado na política – revelou, sem entrar em detalhes acerca das referências ao seu nome.

Outro pré-candidato que reagiu ao anuncio da aliança foi o delegado Antonio Rayol, do PSDB. “Eles confirmaram o que já venho falando há meses, que são todos farinha do mesmo saco, desde 1988. Niterói vai romper com essa aliança e avançar. Eles acham que fizeram muito, mas com o tempo e os recursos que gastaram poderiam ter avançado muito mais. Ainda bem que estão unidos agora para o povo os derrotá-los para sempre”, disse Rayol.

José Seba (Rede) e Flávio Serafini (Psol) ainda não se pronunciaram sobre o fato.

Diretório bate tambor para receber Rodrigo Neves em sua  sede

jorge e rodrigo

Jorge Roberto (Esq.) e Rodrigo Neves estão unidos (foto do Globo na internet)

Rodrigo Neves vai subir triunfal as escadarias do diretório do PDT de Niterói, na próxima quarta-feira (08/06), às 19 horas, recepcionado pelos maores caciques trabalhistas, Jorge Roberto Silveira, Carlos Lupi e Miguel Vitoriano, que fez a comunicação através de sua rede social.
Diz a nota do presidente municipal: “Confirmada para o dia 08/06, quarta-feira, às 19h. A Direção do PDT de Niterói convida a todos e todas para participarem da reunião com Jorge Roberto Silveira , com a presença do Prefeito Rodrigo Neves,de acordo com decisão tomada em 24/05/2016, pelo Diretório Municipal. O evento contará com a presença do nosso Presidente Nacional Carlos Lupi.”

O encontro sacramentará a aliança Jorge Roberto-Rodrigo Neves, que chega com mais de 15 anos de atraso, frustrada pelo PT ao indicar Godofredo Pinto para vice de Jorge. Agora é Rodrigo quem vem na cabeça.

Por enquanto só dois pedetistas vão figurar na administração municipal: Hamiltom Pitanga e o engenheiro Pedro Basílio. Não haverá distribuição de cargos para os pedetistas, só a partir de 2017, quando o partido ajudar a eleger Rodrigo. Nesse mandato, não ajudamos em nada e é natural que o PDT não reivindique cargos por coerência. O PDT não quer que Rodrigo afaste pessoas que ajudaram a elege-lo”, declarou a fonte.

ABRIU CAMINHO PARA JORGE ROBERTO SER CANDIATO OU HAMMILON PITANGA SER VICE DE RODRIGO NEVES

felipee

Felipe Peixoto não teve alternativa, ou acetarva ser vice de Rodrigo Neves ou sairia.

Felipe Peixoto não aguentou a pressão e deixou  o PDT nesta noite (22/03), deixando livre o caminho para Jorge Roberto Silveira concorrer mis uma vez à Prefeitura ou indicar o vice na chapa de Rodrigo Neves, que poderá ser Hamilton Pitanga.

Não foi nada fácil. Felipe Peixoto enfrentou uma parada indigesta, que teve requintes de crueldade. Em lado oposto estavam a Presidente Dilma, que fez a ponte com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi; Jorge Roberto, Comte Bittencourt e o prefeito Rodrigo Neves, do PT até ontem. Eles inviabilizaram a candidatura de Felipe Peixoto pelo PDT.

CLIMA DE TRISTEZA E PERPLEIDADE

Centenas de pedetistas mal acreditavam no que cibaram de saber. Felipe chegou ao partido bem cedo, na companhia do pai e da mãe. Parecia estar consciente da decisão a tomar. Fez uma reunião com os presidentes de partidos que se uniram em torno dele. Saiu algumas vezes para falar com Jorge Roberto ao telefone.  Depois, reuniu a Executiva Municipal, quando expôs suas razões para deixar a legenda.

Alguns pensaram que era brincadeira, mas Felipe disse que não aguentou a pressão. Sentiu o golpe. A semana toda assistido pela imprensa que Rodrigo havia acertado sua ida para o PDT e que ele seria o vice na chapa não deu pra segurar. Emprego nas mãos da Executiva que até então presidia o pedido de desfiliação.

Não foi Rodrigo Neves que escolheu o PDT. Foi o PDT que aderiu de modo incondicional a Rodrigo Neves.

Nos meios políticos circula comentários de que o PDT indicará o vice-prefeito, tendendo para o nome de Hamilton Pitanga. Caso haja resistência, em especial do deputado Comte Bittencourt, do PPS, um dos articuladores, o PDT chamaria Jorge Roberto Silveira para o sacrifício.  Lupi não vai abrir mão da vice

ACORDO é O VICE ASSUMIR EM 2018

A proposta feita a Felipe Peixoto chegou a cogitar que em 2018 Rodrigo Neves sairia para concorrer ao Governo do Estado e o vice do PDT assumiria o cargo, repetindo o que fez Jorge Roberto Silveira ao passar os três anos de seu mandato para o vice do PT, Godofredo Pinto.

A retribuição viria em 2018. O vice que o PDT indicar será prefeito. Carlos Lupi não abre mão de que o vice-prefeito seja do partido, alijando de cara o atual vice, Grael e o deputado Comte Bitencourt. Em caso de impasse, Jorge será chamado para o sacrifício, o que sabe fazer muito bem.

ROMÁRIO MANDA CHAMAR FELIPE

Tão logo foi anunciada a saída de Felipe Peixoto do PDT, o Senador Romário ligou para ele, mas não conseguiu falar. Felipe estava em prantos, mas não faltou quem festejasse a possibilidade dele disputar a prefeitura PSB, como não tem mandato tem tempo até 2 de abril para se posicionar.

 

É preciso impedir essa ameaça à cidade, o retorno do Destruidor  e da quadrilha comandada por Filinto Branco.

Na foto acima, José Dirceu observa e sorri orgulhoso de seu pupilo, Rodrigo Neves, candidato a Prefeito de seu grupo; o corpo de Rodrigo encobre o  nome do sinistro Filinto Branco, que voltaria a mandar na cidade. Deus, salve Niterói dessa gente!

Já estava acertada a parceria mais funesta de que se tem notícia.  Apontado nas pesquisas como o veredor mais votado do PT, a dobradinha Godofredo-Rodrigo Neves já havia sido planejada antes, quando o candidato do PT liderava sozinho as pesquisas. Pareciam cabritos em portão de horta, doidos para entrar e devorar tudo. Só que a horta é Niterói inteira.

Este é o risco que a cidade corre. O despreparado com o pior, além da volta de Filinto Branco (uma espécie de Zeca Mocarzel do PT, só que piorado). E no comando de tudo, o maior pilantra de todos os tempos, o deputado José Dirceu. O Grupo de Dirceu desembarcou em Niterói disposto a tudo para assumir o controle da cidade. O esquema vai além, envolve a reeleição do deputado Chico D’Angelo, amigo pessoal de Jose Dirceu e seu fiel escudeiro.

A ligação de Rodrigo Neves é antiga e duradoura, do tempoo que tinha cabelos e era vereador. Desde então, Zé Dirceu fez Rodrigo Neves crescer muito na política e agora o quer prefeito de Niterói, sem nunca ter feito nada pela cidade, é um fantoche

Enquanto está empenhado em fazer ligação de Felipe Peixoto com Jorge Roberto Silveira, o maior realizador de Niterói, Rodrigo Neves esconde suas ligações perigosas com a banda podre do PT. Só que Jorge Roberto é passado e essa súcia do PT está em ascensão  dominante.

A VERDADE SOBRE AS ELEIÇÕES EM NITERÓI

 Felipe Peixoto é um marco na política de Niterói, tal qual Jorge Roberto o foi em 1982. Essa é a única semelhança entre eles.
Agora, é a vez de Felipe, com novas idéias e visão humanística, dar início à construção  de uma Nova Era em Niterói, uma nova etapa de prosperidade e conquistas. Com Felipe,  a História será outra,  tenho certeza

Que defeito Felipe tem?

Receber o apoio de Jorge Roberto Silveira não é defeito. Ademais, Rodrigo Neves e Sérgio Zveiter já mendigaram esse mesmo apoio. Já os vi desesperados para ter a glória de posar ao lado de Jorge Roberto, enquanto Felipe iniciava sua trajetória política alheio a toda aquela bajulação.

Se tem alguém dentre os candidatos mais citados que não desfrutava do “petit comité” de Jorge Roberto, Mocarzel, Pitanga e outros mais era Felipe Peixoto. E não desfruta.

Rodrigo Neves era o preferido de Jorge. Fez das tripas coração para que o PT o indicasse  vice-prefeito de Jorge Roberto, que – por sua vez – investiu tudo para que o escolhido fosse Rodrigo, em 2002. Deu Godofredo, numa disputa como nunca se viu. Rodrigo foi chorar no sexto andar e Godofredo festejava no boteco da esquina.

E Felipe Peixoto navegando da obra social do pai, da beira da Lagoa de Piratininga a Icaraí, alheio à babaovice e beija-mão do gabinete.

Agora, quando conquistou por seus próprios méritos e esforços o direito de ser o candidato a prefeito pelo PDT, é apontado como o candidato de Jorge, a continuação de Jorge. A continuação, quiçá, seriam os baba-ovos Rodrigo e Zveiter, pois uma vez puxa-saco, sempre puxa-saco.

O preferido de Jorge nunca foi Felipe Peixoto. Era Comte Bittencourt, sabidamente um político parasita, que cultiva o ódio e persegue pessoas. Jorge nunca apoiou Felipe Peixoto para sucedê-lo, teve que engolí-lo. Depois do namorico com Rodrigo, a quem ajudou a se eleger deputado estadual (tirando inclusive Gallo da disputa), e Godofredo, de quem fez Prefeito da cidade, Jorge Roberto apostou tudo em Comte Bittencourt. Jogou pérola aos porcos.

Deu a Comte quatro secretarias, que ele pode manobrar e obter votos para sua reeleição a deputado estadual: Educação, Fundação de Educação, Neltur e Esporte e Lazer, além de uma grossa fatia da Secretaria de Saúde. E nada a Felipe Peixoto.  Fez mais agora pouco: deu a Comte o comando do governo municipal, de modo que pudesse se impor como legítimo indicado para sucessão de Jorge Roberto. Felipe ganhou duplamente: sem a máquina, teve mais votos que o maldoso  Comte para deputado e venceu a disputa para ser o indicado,recusando ser vice, O bem venceu o mal. Derrotado e humilhado, Comte pega carona no prestígio de Felipe mirando em 2014, na ilusão de que poderá escapar dos efeitos que macularam o governo de Jorge Roberto, que ele mesmo, Comte Bittencourt, ajudou a produzir. Na hora certa nós lembraremos ao povo…

Depois de vencer por seus próprios méritos um rolo compressor terrível, não é justo que se diga que Felipe Peixoto é o candidato de Jorge Roberto.  Felipe é o candidato dele mesmo, de  uma cidade, que o adotou, viu crescer e agora o quer Prefeito.

Felipe Peixoto é outra história! No primeiro turno.

DO QUE O POVO GOSTA MAIS: DO GENÉRICO OU DA GUELTA, O B.Ó, REMÉDIO BOM PRA OTÁRIO?

Sérgio Zveiter (E) com Jorge Roberto, juras de amor eterno

Veio do adversário o lema que faltava para Felipe Peixoto disparar na preferência popular. Todo genérico é de confiança. O povo prefere o genérico e não vai mudar por intrigas eleitorais.
Não estivesse Felipe Peixoto mais bem preparado para Governar Niterói, seus adversários não estariam empenhados em proclamar como “grande defeito” pertencer ao partido do estadista Jorge Roberto Silveira, o político que mais honrou e dignificou Niterói.
Antes dos genéricos, havia os remédios chamados de guelta aqui no Rio e B.O, em São Paulo;. B.O. na gíria das drogarias significa “bom pra otário”. É isso que o Sérgio é, uma guelta, bom pra otário, remédio que não serve pra nada, que até pode matar.
Sérgio Zveiter, que elegeu-se Deputado Federal ungido por Jorge Roberto, renega suas origens. Felipe Peixoto não se elegeu deputado com ajuda de Jorge, não. Foi por seus próprios méritos, os mesmos que o  credenciam a concorrer à Prefeitura, algo muito natural.
Mas se Zveiter pensa que prejudica Felipe chamando-o de Genérico do Jorge, assume que fez pior, é uma fotocópia apagada de Jorge, a quem fez juras de sangue e amor eterno. Ele sim seria o candidato natural do PDT de Jorge caso não tivesse traído outra vez quem o acolheu, elegeu e ungiu como seu sucessor. Zveiter, sim, Jorge deveria carregar nas costas. Felipe não não é Zveiter.
Sérgio Zveiter não quis ser candidato pelo PDT porque revelou não saber lidar com situações difíceis e adversidades. Esse despreparo  justifica seu péssimo desempenho nas pesquisas. Ô, coitado!
É certo que esse ultimo governo não foi lá digno de Jorge Roberto, que nos acostumou mal, com administrações portentosas e altíssimo nível. Jorge foi sempre sinônimo de vanguarda e competência e deixa Niterói como a primeira cidade em saneamento no Estado do Rio e uma das 10 primeiras do Brasil.
Felipe Peixoto devia se orgulhar de ser chamado de genérico de Jorge Roberto, que é uma referência política de grande valor que, aliada à sua capacidade pessoal de trabalho e luta, fazem de Felipe um gigante, o que mais  desperta a confiança do eleitor de Niteróil.
Genérico não tem o sentido negativo que Sérgio Zveiter pretende incutir no eleitor. Todos sabem que os genéricos são bons, melhores até do que os remédios de marca, O genérico é o preferido da maioria e se eu sou Felipe diria: genérico, sim, com muita honra. Pior é ser é ser uma guelta, remédio que não funciona e custa caro.
O Tribunal da a Zveitor o direito de chamar Felipe de Genérico de Jorge, então Felipe pode chama-lo de B.O,
Gostei do genérico. Vai ajudar a alavancar a campanha. Todo genérico é bom e disso o povo tem certeza. Vale uma enquete: o que o povo prefere, o Genérico ou o Bom Pra Otário, o B.O.?
 
O  Prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira (PDT) vai anunciar na quinta-feira (19/01) quem substituirá os petistas na administração municipal. Se bem conheço Jorge, quem efetivamente trabalha, tem voto e se identifica com seu programa, será mantido, seja qual for o cargo   que ocupa. Há petistas que não querem ser exonerados. E  não serão e estão dispostos a trabalhar para reeleger Jorge..

Sem essa do presidente do partido presidente do partido  chegar lá  e renunciar pelos outros. Renúncia é algo individual e pode haver quem prefira se manter no  emprego. Nesse caso, como os petistas são muito apegados a uma boquinha, poucos sairão.Pior,vão trabalhar contra na frente por saber que a reeleição deJorge Roberto  é  inexorável.

Não  esperem muita novidade na quinta-feira,19.  Há casos, como  o retorno de André Diniz à Câmara, que  são favoráveis a JR, pois o suplente  era  mais opositor do  que André o  seria. Não duvidem que os segmentos de Vitor Junior  permaneçam.  Vão-se os cabeças, mas  o corpo ficará, a turma que tem votos.

Fará bem  a JR manter quem deseja se alinhar com  ele (a maioria,com  certeza). Quem está festejando na esperança de vagar muitos cargos, pode tirar o cavalinho da chuva. Jorge pode trocar  seis por meia  dúzia. E vão trabalhar feito esfomeado num prato de comida, com unhas e dentes.