Archives for posts with tag: Gallo

Segredo está na atuação vigilante da Câmara Municipal

Niterói é o o único município do Estado do Rio que não mergulhou em crise na transposição de governo. Não que o prefeito Rodrigo Neves tenha sido competente. Muito pelo contrário. O sucesso de Niterói está na competência da CÇamara Municipal. Entra governo, sai governo, Niterói mantém a estabilidade. Enquanto outros municípios amargam salários atrasados, cofres vazios, divida de mont e salários atrasados, Niterói parece navegar num oceano de tranquilidade.

Reportagena da grande impressa mostram o estado caótico de todas as cidades ao redor de Niterói. Culpa apenas e não falam da co-autoria dos vereadores da cidade. Em Niterói, os vereadores trabalharam de olhos bem abertos, vigilantes na fiscalização do prefeito, o que impede que a cidade seja mal administrada. Quem define bem isso é o decano dos vereadores, Luiz Carlos Gallo, Primeiro-Secretário da Mesa e atualmente licenciado.

– Os vereadores de Niterói tem ética, compromisso com a cidade. É essa ética, que está no consciente de cada vereador,   que possibilita à Câmara manter com braço forte a administração pública. Observe que cada presidente que assume a Mesa Diretora lidera seus pares tendo em vista o interesse público. Foi assim com Zé Vicente, Comte Bittencourt e agora com Paulo Bagueira, quando números prefeitos passaram sem que  na transição de um governante para o outro fornecedores e funcionários ficassem sem receber. É certo que Rodrigo Neves está fazendo um excelente governo e isso facilita nosso trabalho.  Dói ver tanta gente sofrendo em outras cidades, mas em Niterói nós fizemos a coisa certa e o resultado todos estão vendo.

Entra ano, sai ano, a Câmara de Niterói tem sido o esteio para o sucesso das administrações municipais. Entra prefeito, sai prefeito e a cidade se mantém estável e saudável.

Presideente do Solidariedade não diz que sim, mas também não nega

Paulo Bagueira está bem nas pesquisas

Paulo Bagueira está bem nas pesquisas

O jornal EXPRESSÃO OCEÂNICA qu circula na próxima semana publicará reportagem dando conta de que o vereador e presidente da Câmara Municipal de Niterói, Paulo Bagueira, poderá ser lançado candidato a prefeito da cidade. Conta a seu favor pesquisa de opinião indicando que é grande a rejeição ao nome do prefeito Rodrgo Neves e ao Partido dos Traalhadores..
O primeiro sinal de insatisfação da base ccom o prefeito já foi dado: a pauta da Camara está trancada, não se vota nenhuma matéria de interesse do preeito. Quem tira proveito da situação é o vereador de oposição Bruno Lessa, que aroveita para encher a pauta com “Requerimentos-Bomba”.O ambiene é profícuo para emplacar proposições que obriguem o prefeito a prestar esclarecimentos sobre asuntos ocultos sigilosos, ocultos do público.

BAGUEIRA DESCONVERSA
Paulo Bagueira não confirma nem nega, disse apenas que está “na bae de aoio ao governo, no momento preocupado em montar a nominata de candidatos proporcionais. Coo presidente do Solidariedade de Niterói é essa a minha preocupação no momento”, informou por intermédio de sua assessoria.Reparem que sequer o nome de Rodrigo Neves parece no texto. Bagueira fa referência apenas ao governo.
Mas a pressão é grande, Insatisfeita, a base está disposta caminhar com Bagueira. Tanto que apóia integralmene o trancaento da pauta.
Para o líder do governo, vereador Gallo, “trata-se de uma especulação sem pé nem cabeça, rebedia de momento. Logo, logo tudo se ajeita, a base estará unida em torno de Rodrigo. Mas se você quer sber (o repórter), PBagueira é um nome ue honra e dignifica a cidade e possui todas as credenciais para ser prefeito. Mas agora é hora de da a Rodrigo condições de acabar a obra qu começou”.

Lava-Jato: Gallo pede a Moro para pagar aos 15 rmil operários  demitidos em Niterói

A Câmara Municipal de Niterói encaminhará nos próximos dias pedido ao Juiz Sérgio Moro, da Lava-Jato, para que o dinheiro recuperado na operação seja prioritaiamente destinado à formação de um fundo de assistênccia imediata aos milhares de trablalhadores de estaleiros quee estão sem receber salários desde ue a crise começou.
– Famílias bem estruturadas desmoronaram da noite pro dia. Seus chefes trabalharam e não receberam nada. Estão com a luz e a água ccortados, o consumo de remédios aumenou, falta comida na me sa dessa gente. Só em Niterói, são 15 mil trabalhadores em situação de miséria. “Estamos apelando ao Juiz Sérgio Moro para que ao invé de destinar todo dinheiro recuperado para a Petrobrás, uma parte seja usada prioritariamente para socorer esses operários – disse Gallo.

Mihares de trabalhadores trabaharam para a Petrobrás e não receberam

Mihares de trabalhadores trabaharam para a Petrobrás e não receberam

O vereador, autor de inumeras leis que aumentaram a qualidade de vidaa dos moradores de Niterói, propõe que, em âmbito nacional, seja criada uma lei para assegurar que os trabalhadores tem prioidade no recebimento de dinheiro devlvdo na Justiça. Hoje, ele pedirá ao residente da Câmara, Paulo Bagueira, que coloque em votação Requerimento propondo ao Juz Sérgio Moro que, por ofício, determine que parte do dinheio seja reservado e entregue aos funcionário dos estaleiros.

galloooo
– Só a Camargo Correia se comprometeu a devolver quase R$ 800 mihões pelo aacordo de leniência. Até agora, mais de R$ 2 bilhões fram recuperados. Não faz sentido atender apenas aos interesses d Peetrobrás, que foi tungada sim, mas os trabahadores, qu em ultima análise prestram serviços à Petrobrás fiquem a deusdará. Bem ou mal, a Petrobrás tem fonte de receita, enquanto os trabalhadores estão à mingua – isse. E ompletou.
“Esse pessoal sequer percebeu que poderia ocorrer demissão no stor, que ia de vento em popa, contratando mais e mais, crescendo dia a dia. De repente, o mundo dsaba. Nõ receberm os lários, os direitos trabalhaistas, nada, nada”.
Gallo explicou por que não inccluiu os trabalhadores do Comperj entre os beneficiaddos. “Somos de Niterói, só conhecemos a realidade daqui, que é gravísima. Num primeiro momeno, temos a obrigação de defende nosos opeários, pois todos setores estão seno prejudicados, de uma forma ou de outra” concluiu.estaleiro

CCJ DE NITERÓI  IMPEDE  BANCO QUE FINANCIA DEFICIENTES E RECURSO AO PLENÁRIO PODE DEVOLVER ESPERANÇA  A QUEM PRECISA

Caberá ao plenário da Câmara de Niterói julgar recurso interposto pelo Vereador Gallo, autor do projeto que criria o Banco da Acessibilidade, destinado a financiar a compra de equipamentos, próteses e até financiar projetos de inclusão do deficientes no mercado de trabalho. Ao ser submetido à Comissão de Constituição e Jusstça – CCJ – da Câmara Municipal, o projeto de lei recebeu parecer contrário do relator, vereador Rodrigo Farh, aprovado pela unnimidade dos seus membros.
Gall: – O banco é para financiar deficienes e não para distribuir dinheiro sem volta

Gall: banco é para  financiar deficienes  e não para distribuir dinheiro sem volta

Gall: banco é para financiar deficienes e não para distribuir dinheiro sem volta

– O p1rojto é semelhante a uma lei de minha autoria, quee crriou o Banco Popular de Niterói, que financia pessoas de baixa renda. A idéia e crriar um organismo que ajude as pessoas com deficiência a montar um negócio próprio, adquirir equipamentos (cadeira de rodas eletronica, máquinas e instruentos de robótica, entre outras) podendo atender a todo tipo de neessidade. . A CCJ, o invés de opinar sobre a onstitucionalidade e juridicidade do meu projeto, apenas foi ontra, impedindo a sua tramitação -dise Gallo.
Ao apresentar recurso ao plenário, Gallo disse ter certeza de que o parecer da CCJ será reformado. “A vda já é tão dura para as pessoas com deficiênia e cabe a nós minimizar os roblemas que elas enfrentam. Toda ação que causa embraço à vida dos deficientes tem que ser combatida. É isso que estou fazendo, lutar até o fim para o projeto ser transformado em lei”, completou
Pela segunda vez Gallo apela para um recurso
Pela segunda vez Gallo apela para um recurso
A idéia cenral do rojeto é financiar os deficientes de Niterói. “Não estamos falando de doações, mas, sim, de emréstimo a pessoas ue precisam mais ue as outras, dinheiro esse que volará aos cofres públicos para manter o sistema em uncionamento. Não é doação. Preetendemos ue o banco da Acessibilidade financie o deficiente qqu queir montar uma pequena indústria, um comércio ou emresa de prestação de serviço. O banco também poderia dar fiança para aluguel, aquisição de equipamentos mais avançado e até vigens ao exterrior para tratamento de sade. Trata-se de um projeto plural, que deu muito trabalho para ser elaborado, demandou pesquisas para morrer assim numa canetada da CCJ. Como acreedito na boa vontade do conjunto de vereadores, estou recorrendo a eles”, finalizou.
Caberá ao presiente Paulo Bagueira colocar o recurso em votação. Esta semana, odos os vereadores rceberam c´pias do recrsos, para qu pudessem estudar com antecipação. Esta é a segunda vez que Gllo apela ao plenário para que um projeto de sua autoria siga em frente. O outro foi contra parecer da mema CCJ, que tenta vetar a lei que obriga o uso de colete por condutores e caronas de motocicletas. O recurso ainda não foi à votação

VEREADORES QUEREM SABER ONDE, QUANDO E COMO JRS TORROU R$ 265,6 MILHÕESJORGE

O ex-prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira (foto acima), vai ter que beijar muitas mãos se quiser que a Câmara de Vereadores aprove suas contas, rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado, envolvendo um rombo de  R$ 265.634.430,28,

Se a votação fosse hoje, Jorge Roberto seria condenado pela Câmara, pois essa é a tendência dos vereadores da base de sustentação do atual prefeito. Rodrigo Neves quer alijar JRS da política de Niterói. Para tanto pega carona no descontentamento geral dos vereadores.

– Você acha que eu votaria  a favor de Jorge Roberto, um homem que governou de costas para a Câmara? – questiona um ex-aliado do governo passado.

Essa é a tendência geral, pois a insatisfação é grande. Rodrigo Neves nem precisa pedir tal o nível de insatisfação. A rigor, JR só contaria com dois votos, do líder do PDT, Renato Carielo e de Tânia Rodrigues, que postula retornar à Alerj pela legenda de Jorge Roberto.

O maior líder político de Niterói nos últimos tempos vai ter que fazer caminho fundo pelos corredores da Casa se quiser o apoio dos vereadores  e até para  evitar que seja convocado para dar explicações sobre onde foram parar os  R$ 265.634.430,28    gastos sem comprovação, segundo a auditoria do TCE/RJ.

Ainda que Rodrigo Neves pedisse para a Câmara aprovar as  contas de Jorge (seria mais fácil um tcamelo passar  no buraco da agulha do que isso acontecer), os vereadores diriam  não. Ninguém quer perder o gostinho de tirar o sossego de JR.

Essa novela promete. E o voto não é mais secreto, graças a uma lei do vereador Gallo

Empresários, tremeis. O Vereador Gallo (PDT) vai ser o Relator   da  CPI dos ônibus. Ferrenho crítico dos empresários desse setor,  Gallo foi o seu mais ativo opositor:  Sempre votou contra  todas as vantagens oferecidas   às empresa. Durante  anos, tentou, sem sucesso, acabar com o monopólio das linhas, liderando campanha em favor do transporte alternativo por vans e microônibus.  Também votou contra a renovação das concessões , querendo abertura de concorrência pública.

Indicado pela bancada, a maior da casa, Gallo assegura que não pensa ir à forra e prometeu  que não haverá revanchismo.  Garante que vai agir com isenção e sem prejulgo. “Estou nessa em respeito à cidade, à juventude de Niterói  que não ficou satisfeita com o reajuste das tarifas”, disse.  Também  prometeu não conduzir seu trabalho na CPI  levando em contas as derrotas que sofreu para os empresários.

Gallo, nas época que lutava contra o fim do Caio Martins

Gallo, nas época que lutava contra o fim do Caio Martins

– Isso é passado. Sou contra qualquer tipo de vingança e não a praticaria.  Temos duas frentes de atuação aqui. Uma é meu papel  o papel de policia judiciária da Comissão Parlamentar de Inquérito. Outro é de vereador, obrigado a fiscalizar o governo, batalhar pela melhoria da qualidade de vida de novo povo  e fazer as proposições que a população. Foi assim quando acabei com o voto secreto, as sessões secretas, com a lei dos 15 minutos nas filas dos bancos e tantas mais – disse.

Mesmo que não queira, Gallo vai ter que tratar de uma questão relacionada a uma lei de sua autoria que não está sendo  cumprida pelas empresas, que obriga que pelo menos 10% dos empregados sejam pessoas portadoras de deficiência. “Se não estão cumprindo estão errados também. Cabe ao poder concedente verificar  e cobrar. Mas essa questão está na alçada de outra CPI, que por sinal sou presidente.  Não  vamos misturar as coisas sob pena de inviabilizar juridicamente tanto uma quanto outra CPI.  O presidente Bruno Lessa  possui notável saber jurídico e saberá atuar como grande magistrado nessa causa”

Gallo elogiou a escolha de Bruno Lessa: “Foi a melhor  coisa. Bruno é de oposição, faz oposição construtiva, é pragmatico e com ele tem subterfúgio. É uma prova de que o Legislativo, na presidência de Paulo Bagueira, não está  atrelado a ninguém. Todos sabemos que há um verdadeiro exército  que apóia as empresas”, completou.

A instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito será no dia 6 de agosto e terá 90 dias, prorrogáveis regimental. Mas o plenário pode deliberar pela extensão do prazo quantas vezes quiser.vereador Gallo_0157

Gallo descartou a possibilidade de criar sub-relatoria, alegando que são apenas cinco os integrantes.”Haveria muito cacique pra pouco índio. Se a CPI fosse composta  de  maior número,  tudo bem. Vamos ter que nos desdobrar. Aliás, essa é a única prerrogativa exclusiva que tenho,  de indicar sub-relator, no mais quem manda na CPI é o presidente. Não tenho dúvidas de que a CPI desperta interesse geral, especialmente dos demais vereadores, e – embora não tenham direito a voto nessa fase, são os  vereadores que votarão o relatório final. Natural  que eles participem de tudo desde já para quando forem chamados a se manifestar já tenham noção e até opinião formada”, finalizou.

O edital de convocação para instalação dos trabalhos, eleição presidente e relator será publicado até15 dias de seis de agosto no Diário Oficial da Câmara.

MESMO SABENDO QUE É MENTIRA, JORNAL TENTA VINCULAR PILANTRA A GALLO

Mais uma vez o jornal O Fluminense chutou pra fora  pênalti sem goleiro.

Irresponsavelmente, o jornal publica na edição online de hoje (15/02 – vejam aqui ) matéria garantindo que um cretino, chamado Leonardo de Souza Pinto, era funcionário do Gabinete de Gallo. Trata-se de uma cretinice do repórter, do editor e do jornal, que desprezaram o contraditório, deixando de ouvir pessoas que efetivamente trabalham no gabinete.

Dá pra desconfiar da matéria desde o começo, pois é o jornal quem assume a responsabilidade pela informação, dando mais ênfase ao fato do criminoso ser do Gabinete do Vereador Gallo (e não é) e sequer informa a data dos crimes praticados para possibilitar uma conferência dos interessados e curiosos.

Cristalino se revela na reportagem que Gallo e nenhum outro servidor do gabinete esteve envolvido no caso. A própria investigação deve ter concentrado forças em Gallo e nada se provopu. Sabem por que? Porque Gallo, em que pese o mal juízo que se faz dele, é um político puro, não adota essas práticas e nenhuma outra  degradante.

É uma pena que um jornal como O Fluminense tenha dado esse tratamento à noticia, intrigando Gallo com a sociedade local.

Pior: o jornal mantém a página do ar mesmo sabendo que não existe vínculo do facínora com Gallo. Covardia, muita covardia.

ADERIR AO PT ESTÁ FORA DE COGITAÇÃO;. PARTIDO QUER OLHO VIVO

O PDT de Niterói, que tem a maior bancada na Câmara Municipal, decidiu convocar seus vereadores para firmar posição sobre a administração de Rodrigo Neves, do PT. E não será oposição radical, como faz o Psol. O partido de Felipe Peixoto não admitirá o adesismo ao PT, nem poderia. Mas também não criará dificuldades para a governabilidade do município.

O líder da bancada, Renato Cariello, deverá convocar seus colegas para o encontro na terça-feira, quando sera firmada ea diretriz. O PDT quer impedir o adesismo ao PT, já percebido em algumas condutas.

Aderir ao PT constituiu infidelidade partidária, indisciplina que a direção partidária quer evitar.

Ao contrário do PT, que aderiu aos governos de Jorge Roberto Silveira,  o PDT não quer participar do governo do PT

Até o atual prefeito, Rodrigo Neves, chegou a ocupar a secretaria mais popular da cidade na era do PDT, o que lhe abriu caminhos para se eleger deputado estadual.

Na ultima legislatura, dois vereadores do PT aderiram à administração de Jorge Roberto “por baixo dos panos”. É isto que o PDT quer evitar, jogando na lama os quase 120 mil votos recebidos da população.e

Os eleitores do PDT  não confiaram em Rodrigo e nas suas mirabolantes promessas. Até torcem para que a cidade melhore,mas, para tal,  será indispensável uma oposição, firme e segura, capaz de evitar desperdícios e malversação de dinheiro público, como ocorreu no governo do petista Godofredo Pinto.

O glorioso Prefeito Rodrigo Neves quer mesmo atropelar a Câmara de Vereadores.  Inconformado com a insistência da Câmara de fazer a coisa certa, Glorioso promoveu reuniões de 19 vereadores com sua assessoria.bagueiraRelease distribuído pela Câmara revela o quanto o novo prefeito está intransigente.  Eis a íntegrada da nota distribuída à imprensa:

A Câmara de Vereadores de Niterói realiza nesta quarta-feira, dia 9, às 17 horas, sessão extraordinária para analisar os decretos 11.331, 11.333 e 11.327 que dão uma nova estrutura administrativa na Prefeitura, com a criação e extinção de secretarias e órgãos públicos. Na tarde desta terça-feira, dia 8, 19 dos 21 vereadores (apenas os vereadores Beto da Pipa e Luiz Carlos Gallo de Freitas não compareceram porque estavam viajando) se reuniram no gabinete da presidência com o procurador Geral do município, Carlos Raposo e com os secretários de Administração, Moacyr Linhares e Executiva do Prefeito, Maria Célia Vasconcelos. Eles discutiram os pontos polêmicos dos decretos e apresentaram as argumentações legais para a sua edição através de decreto.

 Pelo entendimento da Procuradoria da Câmara e defendida pelos vereadores, a criação ou extinção de cargos e órgãos públicos só podem ser feitos através de mensagem executiva que necessita aprovação da Câmara de Vereadores. O Presidente da Câmara, Paulo Bagueira (foto) disse que a reunião, que durou cerca de 2h30m, foi produtiva e que cabe agora ao executivo analisar as ponderações da Câmara e apresentar uma proposta. “A sessão de amanhã (quarta-feira) está mantida. Vamos aguardar um posicionamento do governo até lá”, disse ele. 

“Mentiras, ofensas, enganação são coisas do passado. Eu jogo limpo” –

Pressionado por vereadores eleitos e suplentes, para que respondesse com violência os ataques de Rodrigo Neves, contra quem vai disputar o segundo turno, o pedetista Felipe Peixoto rejeitou os conselhos. Disse que vai ganhar mantendo o mesmo jeito limpo de fazer campanha.

Esses xingamentos, esse ódio, as mentiras e maldades fazem parte do passado que nós já deixamos para trás e queremos sepultar de vez. Agora é o futuro. Não é um recomeço, mas um novo tempo, de paz, de amor e união – disse.

Na platéia, todos pediam para Felipe não dar a outra face, mas ele maneava a cabeça, dizendo “vou dar sim, pois não quero ódio daqui pra lá. Deus me dá força para absorver esses ataques e ofensas, que não me fazem mal justamente porque eu sou do bem, eu represento um obstáculo  ao projeto político que o PT tem para Niterói”.

Vereador Magaldi, 13º mais votado, não se reelegeu e vai apoiar Felipe Peixoto acredita na vitória da honestidade contra o candidato do Mensalão

O Vereador Gallo lembrou que por muito pouco a administração do PT de Rodrigo Neves não quebrou a cidade, deixando uma dívida impagável só no setor de saúde, em torno de 170 milhões, além do pagamento atrasado do funcionalismo  e principais forncedores da Prefeiturta, cvomo a coleta de lixo. Rasparam o cofre, não deixaram uma prata. Isso é um fato e temos que mostrar à sociedade de Niterói o mal que o PT fez à cidade”, declarou.