Archives for posts with tag: golpe
dilma e lula nyt

Muito mais que uma pulga atrás da orelha…

O GOLPE – Não é por acaso que o PT fala tanto em golpe, golpe, golpe…
É que ele, o PT de Dilma e Lula, quer sim dar um golpe a pretexto de não deixar “haver glpe”.
Todas instituições já perceberam os objetivos dessa cantilena de chamar processo legal de golpe, golpe, golpe.
Na qualidade de Comandante in Chefe das Forças Armadas, Dilma já prepara o raduc do autoritarismo: um golpe para se manter no cargo com apoio dos chefes militares.
Esperem só!
Anúncios

Atenção consumidores dos produtos da tradicional fábrica de frios e  embutidos Ceratti.

Tem um golpe novo na praça:  depois de fazer fama pela excelência de seus produtos, a Ceratti criou uma linha de péssima qualidade para competir com mortadelas chamadas de “baixa-renda”, de gosto discutível.

No Extra de Itaipu, a fraude para vender gato por lebre. Afirmam que é Ceratti tradicional com preço de  mortadela de segunda linha.

No Extra de Itaipu, a fraude para vender gato por lebre. Afirmam que é Ceratti tradicional com preço de mortadela de segunda linha.

No Extra de Itaipu/Niterói/Rio de Janeiro (Shopping Multicenter), está sendo vendida fatiada em pedaços grandes como a deliciosa Ceratti uma mortadela de qualidade inferior chamada Bambina. Ao que tudo indica, a loja conseguiu as embalagens com a logomarca Ceratti,  que tanto caracteriza produtos de altíssima qualidade,  com o próprio fabricante.

Diante da suspeita do consumidor habituado a pagar mais caro pela mortadela Ceratti tradicional, a loja do Extra garante que é “Mortadela Ceratti Tradicional, só que na hora de etiquetar a embalagem o funcionário errou o código, imprimindo o preço da mortadela Bambina”, em torno de R$ 10,00 o quilo, quase quatro vezes mais barata, mas que a loja garantiria assim mesmo a compra de quantas embalagens o cliente pudesse levar. Ficaria supostamente no prejuizo. Diante dos argumentos, as pessoas enganadas  enchiam os carrinhos, pensando estar levando vantagem.

Na propaganda da Bambina o nome Ceratti nem aparece

Na propaganda da Bambina o nome Ceratti nem aparece e no Extra é vendida como a tradicional

Aconteceu comigo. Primeiro, suspeitei de produto vencido. Resolvi só levar três peças e confiar na validade informada, longe de vencer.  Como estivesse embalada a vácuo em papel laminado sequer senti o cheiro característico da apetitosa Ceratti. Ainda assim, resolvi fotografar o produto no próprio caixa, pressentindo que havia mutreta.

Só fui dar pelo engodo no domingo, depois que as crianças e visitas devoraram uma peça e meia. Na minha vez, constatei que aquilo não era a mortadela que estava habituado (quando o dinheiro dá) a comprar no Freeport a R$ 38,00 o quilo.

Ao “denunciar” à Ceratti, fiquei sabendo que a tal Bambina é fabricada pela empresa. Era uma Ceratti tradicional com preço de  mortadela de segunda linha. Pelo sim, pelo não, decidi não confiar mais na Ceratti e evitar o consumo do que ela fabrica.

MESMO SABENDO QUE É MENTIRA, JORNAL TENTA VINCULAR PILANTRA A GALLO

Mais uma vez o jornal O Fluminense chutou pra fora  pênalti sem goleiro.

Irresponsavelmente, o jornal publica na edição online de hoje (15/02 – vejam aqui ) matéria garantindo que um cretino, chamado Leonardo de Souza Pinto, era funcionário do Gabinete de Gallo. Trata-se de uma cretinice do repórter, do editor e do jornal, que desprezaram o contraditório, deixando de ouvir pessoas que efetivamente trabalham no gabinete.

Dá pra desconfiar da matéria desde o começo, pois é o jornal quem assume a responsabilidade pela informação, dando mais ênfase ao fato do criminoso ser do Gabinete do Vereador Gallo (e não é) e sequer informa a data dos crimes praticados para possibilitar uma conferência dos interessados e curiosos.

Cristalino se revela na reportagem que Gallo e nenhum outro servidor do gabinete esteve envolvido no caso. A própria investigação deve ter concentrado forças em Gallo e nada se provopu. Sabem por que? Porque Gallo, em que pese o mal juízo que se faz dele, é um político puro, não adota essas práticas e nenhuma outra  degradante.

É uma pena que um jornal como O Fluminense tenha dado esse tratamento à noticia, intrigando Gallo com a sociedade local.

Pior: o jornal mantém a página do ar mesmo sabendo que não existe vínculo do facínora com Gallo. Covardia, muita covardia.