Archives for posts with tag: Jesus Cristo

Amigos, peço desculpas pelo sumiço.

Foi forçado. Este blog foi invadido, não faço idéia por quem. Aliás, faço sum, só não posso falar.

Quem tem David Tadeu na vida (ele insiste em ser apenas David), tem saída.

Depois de um mês quebrando a cabeça, olha nóis aqoraui travez!

Agora, a verdade tem espaço.

Obrigado aos milhares que, ainda assim, continuaram entrando aqui.

Isso não tem preço

Anúncios

A VERDADE SOBRE AS ELEIÇÕES EM NITERÓI

 Felipe Peixoto é um marco na política de Niterói, tal qual Jorge Roberto o foi em 1982. Essa é a única semelhança entre eles.
Agora, é a vez de Felipe, com novas idéias e visão humanística, dar início à construção  de uma Nova Era em Niterói, uma nova etapa de prosperidade e conquistas. Com Felipe,  a História será outra,  tenho certeza

Que defeito Felipe tem?

Receber o apoio de Jorge Roberto Silveira não é defeito. Ademais, Rodrigo Neves e Sérgio Zveiter já mendigaram esse mesmo apoio. Já os vi desesperados para ter a glória de posar ao lado de Jorge Roberto, enquanto Felipe iniciava sua trajetória política alheio a toda aquela bajulação.

Se tem alguém dentre os candidatos mais citados que não desfrutava do “petit comité” de Jorge Roberto, Mocarzel, Pitanga e outros mais era Felipe Peixoto. E não desfruta.

Rodrigo Neves era o preferido de Jorge. Fez das tripas coração para que o PT o indicasse  vice-prefeito de Jorge Roberto, que – por sua vez – investiu tudo para que o escolhido fosse Rodrigo, em 2002. Deu Godofredo, numa disputa como nunca se viu. Rodrigo foi chorar no sexto andar e Godofredo festejava no boteco da esquina.

E Felipe Peixoto navegando da obra social do pai, da beira da Lagoa de Piratininga a Icaraí, alheio à babaovice e beija-mão do gabinete.

Agora, quando conquistou por seus próprios méritos e esforços o direito de ser o candidato a prefeito pelo PDT, é apontado como o candidato de Jorge, a continuação de Jorge. A continuação, quiçá, seriam os baba-ovos Rodrigo e Zveiter, pois uma vez puxa-saco, sempre puxa-saco.

O preferido de Jorge nunca foi Felipe Peixoto. Era Comte Bittencourt, sabidamente um político parasita, que cultiva o ódio e persegue pessoas. Jorge nunca apoiou Felipe Peixoto para sucedê-lo, teve que engolí-lo. Depois do namorico com Rodrigo, a quem ajudou a se eleger deputado estadual (tirando inclusive Gallo da disputa), e Godofredo, de quem fez Prefeito da cidade, Jorge Roberto apostou tudo em Comte Bittencourt. Jogou pérola aos porcos.

Deu a Comte quatro secretarias, que ele pode manobrar e obter votos para sua reeleição a deputado estadual: Educação, Fundação de Educação, Neltur e Esporte e Lazer, além de uma grossa fatia da Secretaria de Saúde. E nada a Felipe Peixoto.  Fez mais agora pouco: deu a Comte o comando do governo municipal, de modo que pudesse se impor como legítimo indicado para sucessão de Jorge Roberto. Felipe ganhou duplamente: sem a máquina, teve mais votos que o maldoso  Comte para deputado e venceu a disputa para ser o indicado,recusando ser vice, O bem venceu o mal. Derrotado e humilhado, Comte pega carona no prestígio de Felipe mirando em 2014, na ilusão de que poderá escapar dos efeitos que macularam o governo de Jorge Roberto, que ele mesmo, Comte Bittencourt, ajudou a produzir. Na hora certa nós lembraremos ao povo…

Depois de vencer por seus próprios méritos um rolo compressor terrível, não é justo que se diga que Felipe Peixoto é o candidato de Jorge Roberto.  Felipe é o candidato dele mesmo, de  uma cidade, que o adotou, viu crescer e agora o quer Prefeito.

Felipe Peixoto é outra história! No primeiro turno.

Amigos, achei na internet um vídeo em português (de portugal, pois as TVs no Brasil evitam falar do assunto) sobre a biblia de Jesus

 Os meios de comunicação no Brasil fazem de tudo para esconder. O Vaticano está em polvorosa, atônito com a descoberta, pois não possui uma única prova em contrário.

Um livro com mais de 1.500 anos foi encontrado na Turquia e está sendo atribuído a Jesus de Nazaré, o Cristo. É chamado de Biblia e contraria tudo o que diz o Novo Testamento das religiões católica e evangélicas. Jesus, segundo os tradutores,  era mulçumano, professava o islamismo. A revelação apavorou a Igreja Católica, que tudo fez para impedir que fosse divulgada.

Uma reportagem de um canal Japonês cita que o Vaticano mandou um especialista periciar a obra (um livro de capa empretecida pelo tempo), que comprovou a autenticidade e até deu entrevistas (pena que eu não sei japonês!). A igreja suspeitava que fosse uma edição do chamado “Evangelho de Barnabé”, escrito no século 14 e que também dizia ter sido Jesus da religião mulçumana.  O  especialista descartou essa hipótese e desde então o Vaticano não tem sossego.

A tal bíblia é escrita num dialeto aramaico, língua falada por Jesus e já extinta. Foi encontradano ano 2000 pela polícia da Ancara ao desbaratar uma quadrilha de vendedores de antiguidade e está avaliada em 20 milhões de euros. Será restaurada e exposta à visitação no museu da cidade.

A divulgação do achado e as conclusões dos especialistas não foram tornadas públicas no Brasil por interferência do Vaticano ou por questão de foro intimo do Bispo Macedo, controlador de uma das principais redes do país, a Record, que também é dona da Igreja Universal.