Archives for posts with tag: Niterói. Rodrigo Neves

tunel obra

A abetura do tunel Charitas-Cafubá vinha sendo adiada a 40 anos por uma razão muito simples: não era e nunca foi uma prioridade para os habitantes da Região Oceânica, como o tempo de encarregará de provar. Nossa prioridade enquanto moradores de Niterói é a salvação de nossas Lagoas, de Itaipu e Piratininga e revitalização dos rios que nela desaguam.Aliás, essa foi uma das promessas de campanha do prefeito Rodrigo Neves. Os eleitores das margens das lagoas acreditaram nele e, de eleitores fiéis de Felipe Peixoto, debandaram para o lado o “salvador da pátria”. A promessa tamanha que até seu Paulo Peixoto, pai doe Felipe e morador do treho à beira da Lagoa de Piratininga, por pouco não se sentiu obrigado a voar em Rodrigo Neves. Ainda com respaldo de Lula, Dilma, Zé Dirceu, João Vacai, Ricardo Pessoa e outras hoje envolvidos na Lava-jato. As lagoas inteiras, em peso, votaram. E o reultado foi uma apetada diferença.Foi só vencer que Rodrigo Neves “esqueceu” todas as promessas e priorizou o tunel. Prioridade dele, só dele. O tunel seria construído pela iniciativa privada, que poderia cobrar pedágio. Quer dizer, só quem precisasse do tunel arcaria om o ônus de sua construção. Agora, não. Todos vão pagar, até os moradores do Fonseca, Barreto, Pendotiba e Engenhoca (para ciar alguns), pela construção do tunel que não lhes serve para nada, uma vez que o melhor acesso é pelo Caramujo, Ititioca ou Garganta da Viradouro, sem contar a Estrada da Cachoeira.E o pior: mais cedo ou mais tarde, a Prefeitura vai ter que criar um sistema de pedágio no tunel ou na Transoceânica, para arcar com a dívida bilionária que contraiu. Além de nada fazer pelas lagoas e outras necessidades da região, como os constantes alagamentos no entorno do Largo da Batalha, Avenida Central, Santo Antonio e tantos mais, o prefeito do PT de Niterói sepultou de vez um sonho preses a ser realizar: a construção de um ramal ferroviario ligando a Região Oceânica ao Centro por meio de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), passando pelos bairros mais povoados e sem custo par o municipio.Qual o quê? Rodrigo Neves preferiu beneficiar as empresas de ônibus. Isso porque nunca andou de busão, de três-novão ou três-oitão, linhas que ligam às praias e lagoas. BRT ou BRS, sej lá o que for, sendo ônibus, não vai prestar. Não se respeitou ninguém, não se fez uma pesquisa para saaber se a populaçao preferia uma nova linha de ônibus ou um VLT. Simplesmente acharam que era o melhor. E todos sabemos que quando fica muito bom pro PT, o povo sai perdendo. Como agora.

SENTI NA CARNE O DESCASO DE MÉDICOS E SUAS EQUIPES NO MÁRIO MONTEIRO. É PIOR QUE O CAOS.

 Acabo de  chegar (02h50min) do “Hospital” Mário Monteiro, aqui perto de casa.

Quem te viu, quem te vê!

A má vontade, a intolerância com os pacientes sugere que os profissionais de saúde que ali “trabalham” não prestam sequer para tratar de animais quanto mais de seres humanos.chico_perfil

Será essa a marca que Chico D’Ângelo quer imprimir à sua gestão na Secretaria de Saúde de Niterói. Um horror. Todos se sentiam incomodados, arrancados de um sono profundo para atender os que deles necessitam em momento de dor.

 Chico D”Angelo só pode estar sendo enganado. Mandar paciente “se remover” para o HEAL parece piada 

A mãe do meu único neto, Iago,  já adolescente,  foi atendida lá, morrendo de dor, como se diz. Grávida, mas sem barriga (o que pode indicar tanto uma gravidez tubária quanto o feto ter morrido), gritando de tanta dor, deram-lhe um paracetamol na veia com Buscopan. E a dor não passou, nem aliviou. Sequer pode coletar urina para exame, tal a dor e o descontrole da paciente urrando de dor.

Solicitada a presença da médica plantonista, esta optou pela transferência da paciente para o Azevedo Lima, mas se recusou a dar uma guia de encaminhamento e muito menos pedir a remoção numa ambulância. A paciente teria que ir a pé, por seus próprios meios ou de parentes. E se fosse uma pessoa sem dinheiro até para a condução, como faria? Morreria ali, mas o corpo médico não moveria uma palha.

Que cidade é essa? Que política de saúde é essa?

Isso nunca foi assim, tão ruim, pois foi justamente a excelência do Mário Monteiro que a fez buscar socorro ali.

Faço esse registro na certeza de que nada vai mudar. Aliás, vai mudar para pior, com certeza.