Archives for posts with tag: Saúde

Mais uma besteira envolvendo os royalties do petróleo acaba de ser aprovada no Congresso, proposta da mamãe Dilma: toda arrecadação deve ser aplicada em educação (75%) e saúde (25%), eliminando o conceito do que seja royalty.

petróleoHistoricamente, royalties são indenizações que se pagam às gerações (atual e futura) para compensar a extração de uma riqueza que não será reposta (pelo menos nos próximos bilhões de anos). Esse é o espírito dos royalties. No Brasil, para proteger os direitos dos nossos filhos, netos, bisnetos, tetranetos e seguintes , quando se instituíram os royalties  foi para aplicar em obras de infra-estrutura e saneamento básico. Muito inteligente, pois as gerações futuras poderiam se beneficiar.

Poucas regiões cumpriram o dever de casa e deram aos royalties destinações imediatas, até para pagar salários. E como ficarão os salários  dos servidores daqui a 30, 60 anos, quando o petróleo acabar?

O Estado do Rio, que recebe uma fábula de royalties, que grande obra executou? O Maracanã, que já existia?.  A  despoluição da Baías da Guanabara e Sepetiba, as lagoas da Região Metropolitana, os aterros sanitários, transportes (estradas, metro e VLT), que servirão hoje e às futuras gerações, nem sonhar. Em São Paulo, os trens servem a seis gerações e o metro a quase três. E servirão a muitas  mais.

Campos e Macaé executaram que obra para legar às futuras gerações com o dinheiro dos royalties? Que eu saiba, nenhuma. Há recantos sem água potável quanto mais tratamento de  esgotos. Campos privatizou apenas o filé-mignon, a área urbana e central.

Eu pergunto:  em saúde e educação, o que poderá ser desfrutado por quem nascer em 2100?

Nem se pensa tão distante, muito embora quem nascer naquele tenha direito legal a desfrutar do pagamento pela extração da riqueza que, se não tivessem esgotado anos antes, poderiam estar auferindo.

É direito reservar uma parcela para saúde e educação sim. Mas é preciso investir em pesquisa, ciência e tecnologia para  que o país chegue no futuro com menos dependência externa. Não temos sequer um terminal de carga aeroportuário. Os que existem são galpões acanhados, sem estrutura. Nossos portos são os mesmos de centenas de anos passados: Rio, Sepetiba, Angra e Niterói. O Porto do Açu, se sair, será com dinheiro privado.

Destinar TODO dinheiro dos royalties à educação e saúde é lei que diz ser proibido pisar na grama. Ninguém respeitará. Vai ser um tal de dar cheque-cidadão para quem tiver filho que frequentou escola uma vez na vida; bolsa-vagabundagem, para quem tiver saúde de ferro e vai por ai. Tudo será feito para burlar a lei. Pior: não vai acontecer nada, como até hoje.

Mamãe Dilma tunga os royalties da Marinha e sucateia nossa armada. Ninguém fala nada. Muito menos o Psol.

Anúncios

Prezado Paulo Freitas, 

Antes de tudo, devo lhe dizer que considero seu post de ontem, a respeito da Unidade Municipal de Urgência Mario Monteiro, uma grande contribuição à gestão da saúde em nossa cidade.

 Há cerca de dez anos, inauguramos aquela unidade de urgência pré-hospitalar com o principal objetivo de possibilitar um atendimento mais ágil e de qualidade à população niteroiense, sobretudo aos moradores da região oceânica. Como você bem recorda, em pouco tempo firmou-se o reconhecimento da excelência de seus serviços. Como médico, gestor de saúde e morador da cidade, imagine a minha decepção ao reencontrar nosso Mario Monteiro no estado lamentável que seu blog muito bem sumarizou.

 A atual precariedade dos equipamentos e da área física não oferece as melhores condições de atendimento aos que lá procuram socorro e também desrespeita seus profissionais, desestimula e compromete o resultado do seu trabalho.

 “Quem te viu, quem te vê”, você escreveu a respeito desta nossa unidade de saúde. Se “quem não a conhece, não pode mais ver para crer”, valho-me ao seu blog para anunciar meu compromisso de que, de imediato, minha gestão fará intervenções técnicas e administrativas que qualificarão o Mario Monteiro como Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) tipo III – a mais completa estabelecida pelo Ministério da Saúde – e o reconduzirão ao orgulho dos que lá trabalham e, principalmente, à confiança da população. Em breve espaço de tempo, “quem jamais a esquece” voltará a reconhecer e respeitar esta unidade.

 Um forte abraço,

 Chico D’Angelo

Recebi do Secretário Chico D’Angelo a mensagem que reproduzi acimar, não sem antes salientar.

Foi Chico D’Ângelo quem idealizou, construiu e pôs em funcionamento aquela unidade de saude, que ao seu tempo funcionou maravilhosamente bem.

Chico foi o melhor secretário de saúde de Niterói, votei nele para deputado e pedi voto dos parentes e amigos.

Compreendo sua solidariedade com a equipe médica sem  equipamentos, mas não aceito que aqueles exemplos de falta de urbanidade e respeito pela criatura humana se justifiquem. O médico que não suporta quem tem dor deveria ser qualquer coisa, menos médico. Eu vi ali um monte de preguiçosos, indignos de prestar serviço público, o avesso do que é Chico D’ângelo.

SENTI NA CARNE O DESCASO DE MÉDICOS E SUAS EQUIPES NO MÁRIO MONTEIRO. É PIOR QUE O CAOS.

 Acabo de  chegar (02h50min) do “Hospital” Mário Monteiro, aqui perto de casa.

Quem te viu, quem te vê!

A má vontade, a intolerância com os pacientes sugere que os profissionais de saúde que ali “trabalham” não prestam sequer para tratar de animais quanto mais de seres humanos.chico_perfil

Será essa a marca que Chico D’Ângelo quer imprimir à sua gestão na Secretaria de Saúde de Niterói. Um horror. Todos se sentiam incomodados, arrancados de um sono profundo para atender os que deles necessitam em momento de dor.

 Chico D”Angelo só pode estar sendo enganado. Mandar paciente “se remover” para o HEAL parece piada 

A mãe do meu único neto, Iago,  já adolescente,  foi atendida lá, morrendo de dor, como se diz. Grávida, mas sem barriga (o que pode indicar tanto uma gravidez tubária quanto o feto ter morrido), gritando de tanta dor, deram-lhe um paracetamol na veia com Buscopan. E a dor não passou, nem aliviou. Sequer pode coletar urina para exame, tal a dor e o descontrole da paciente urrando de dor.

Solicitada a presença da médica plantonista, esta optou pela transferência da paciente para o Azevedo Lima, mas se recusou a dar uma guia de encaminhamento e muito menos pedir a remoção numa ambulância. A paciente teria que ir a pé, por seus próprios meios ou de parentes. E se fosse uma pessoa sem dinheiro até para a condução, como faria? Morreria ali, mas o corpo médico não moveria uma palha.

Que cidade é essa? Que política de saúde é essa?

Isso nunca foi assim, tão ruim, pois foi justamente a excelência do Mário Monteiro que a fez buscar socorro ali.

Faço esse registro na certeza de que nada vai mudar. Aliás, vai mudar para pior, com certeza.

PREFEITO PASSOU A CAMPANHA DIZENDO QUE A SAÚDE ESTAVA UM CAOS, MAS NÃO TEM PLANO PARA EXECUTAR. APELA PARA CALAMIDADE QUE NÃO EXISTE

O Prefeito de Niterói, acaba de adotar uma medida que é um atestado de burrice: decretou Calamidade Pública na saúde de Niterói. Levou todo período de transição sem propor nada, o que prova sua má-fé com o setor.mario monteiro

Todos sabemos que insumos são comprados no início de cada ano.Não se tem notícia de que Rodrigo Neves tenha, imediatamente, aberto o processo de compra, tendo em vistas o apurado pela equipe de transição. Só que quem chefiavaessaequipe era um incompetente, Axel Grael.

Agora, decorrido quase um mês, vem com esseargumento pueril e enganoso, incoerente, dedecretar calamidade pública.

Para o jornal O Fluminense, prefeito disse que esta unidade desaúde (acima) é um hospital. Piada

Rodrigo Neves levou toda campanha eleitoral dizendo que asaúde estava um caos (aliás, toda a cidade, segundo ele). Venceu as eleições, teve acesso a tudo na transição. E eu pergunto: o que fez? Pediu para adiantar o processo de compra de insumos que o deputado Chico D’ângelo diz existir? Fizeram auditoria no setor? qual o resultado? Indicava uma “calamidade pública”?POLICLINICA

Ao lado a “prova do caos”, uma Policlínica novinha no Largo da Batalha. A verba para reforma do Getulinho daria para fazer 20 hospitais desse

O Ministério Público tem que ver isso com muito cuidado, pois a saude recebeverba carimbada, própria.É preciso saber pra onde foi o dinheiro que Niterói recebeu e responsabilizar que o desviou (se é que houve desvio, pois a saúde de Niterói, há anos, vinha sendo controlada pela Secretária Executivo, Maria Célia, a Hamilton Pitanga de Rodrigo).

Chamar aquele posto de saúde Mário Monteiro de Hospital é brincadeira. Na época, paraque pudesse funcionar, Godofredo fechou todos os postos de urgência da região, descobriu um santo para cobrir outro. O mesmo está sendo com o Getulinho, que parafuncionar teve que fechar a emergencia pediatrica da UPA.

Rodrigo quer um cheque em branco, não um orçamento para seguir.

Vai acontecer igual a deoutras medidas, terá que voltar atrás. Esperem só, pois nenhumk fenômeno, nada imprevisível, que justifique essa irresponsável decretação de Calamidade.

Esperem só…

cabral com rodrigo asfaltoGOVERNO SÓ FICA NO VAI FAZER ISSO E AQUILO

O glorioso Rodrigo Neves, prefeito de Niterói, ao que parece, continua em campanha.  Depois de empossado, repete com insistência factoides utilizados enquanto candidato. A maior parte dos releases distribuídos por sua assessoria dá conta de encontros com autoridades, assinatura de protocolos e convênios. Mas nada de início imediato, como a conclusão das obras do Mergulhão da Marquês e da Estrada Francisco da Cruz Nunes, do Largo da Batalha ao Parque da Colina, que estão abandonados.

Na foto à direita, do portal da PMN, mais um capítulo da novela “Pega Trouxa”, com Sérgio Cabral e Rodrigo Neves, uma quinzena perdida

Tal qual apareceu firmando protocolo com o Governador Sérgio Cabral, que veio a Niterói em horário de expediente  dar uma alavancada na campanha, mais uma vez os dois se encontraram para enganar os trouxas e posar para fotografias, firmando mais um protocolo sem pé nem cabeça, como calçar ruas. Brincadeira!

No reencontro de com Cabral, Rodrigo diz que a prioridade  de pavimentação se concentra na Engenhoca, Fonseca, Barreto, Santa Rosa, São Francisco e Zona Sul. Nada para a Região Oceanica e Pendotiba, onde é grande o número de ruas sem pavimentação (é só ler a matéria no portal da Prefeitura).

MAIS SANDICES

marthaAté a Chefe de Polícia, Martha Rocha (D), de maior credibilidade no governo, se prestou a esse papel

Na falta do que fazer, o novo prefeito decidiu chamar os secretários de Fazenda, de Planejamento e de Administração para um certo lançamento do relatório fiscal de Niteroi. Para ninguém,  apenas mais um factoide para se manter na mídia para desviar a atenção da população para o fato de nada fazer até o momento, a não ser a operação “Cobertor Perneta”, com o fechamando da pediatria da UPA Fonseca e o remanejamento para o hospital de campanha do Getulinho.

Já é hora do prefeito começar a trabalhar de fato e sem errar, como errou ao querer governar por decreto e teve que voltar atrás. Dinheiro jogado fora com a publicação dos atos no Diário Oficial. Por falar nele, ninguém consegue aqcessar os atos do Diário Oficial pelo portal da PMN. Transparência zero


Para a  Deputada Clarissa Garotinho, Campos dos Goitacás (eu me recuso a escrever errado) não deve fazer parte do Estado do Rio, apesar da cidade ser governada pela mãe dela, dona Rosinha.
Clarissa iniciou a semana metendo o pau no Governador Sérgio Cabral pelos baixos níveis dos serviços públicos de saúde no Estado. Bateu, bateu e esqueceu que a cidade administrada pela própria mãe contribuiu em muito para a vergonha do Estado.
Deu um tiro  no pé.
Vai entender…