Archives for the month of: Dezembro, 2012

A culpa é do sujeito oculto, S. Exª o Juiz presidente da solenidade, Dr. Felipe Pinelli, da 99ª Zona Eleitoral, que acumulou as funções de registro,uvant prestação de contas e agora a diplomação.
Uma zona eleitoral capaz de desempenhar com brilhantismo seus encargos não precisava do “auxilio” de coadjuvantes despreparados, tão incompetentes quanto atrapalhados.
A menos que tenha optado deliberadamente manter a imprensa afastada, ter
desprezado a assistência da excelente Assessoria de Comunicação do TRE, entregar a uma estrutura viciada, divorciada dos princípio de urbanidade e respeito que caracteriza a Ascom do TRE, a relação com os veículos de comunicação foi um chute pra fora debaixo de um gol.
A culpa não é de Rosinha.
Quem deve desculpas aos profissionais de imprensa é S.Exª o Juiz, assim como cabe a ele expressar sua desaprovação aos chefes desse bando de aloprados que quis roubar a festa da democrática da qual o mesmo Felipe Pinelli foi seu principal protagonista;
Uma pena que S.Exª, em matéria de assessoria de imprensa, tenha desprezado uma jóia que sempre esteve à sua mão para procurar no lodo.

Paulo Freitas

BLOG DO FREITAS

Diplomação de Rosinha: Foto: Thiago Freitas

A organização na cobertura da diplomação da prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, de seu vice, Dr. Chicão, e dos vereadores e suplentes eleitos, o que ocorreu hoje à noite, no Teatro Trianon, atravessou a linha do ridículo e foi parar nas terras do absurdo, impedindo a imprensa de fazer o seu trabalho. A diplomação é um ato público. Portanto, depois de atendidos os trâmites burocráticos do cadastramento dos fotógrafos e repórteres, o que se esperava era que seria possível reportar aos leitores os momentos mais importantes do evento. Mas assim não foi.

A genialidade para a imbecilidade parece imperar na secretaria de Comunicação do governo Rosinha. Por ordem, segundo contam, do subsecretário, Rodrigo Cherene, os profissionais da imprensa se viram obrigados a cobrir a diplomação a uma distância de 30 metros. Só poderiam fotografar de perto do palco do teatro dois fotógrafos servidores da secretaria de Comunicação, que se…

View original post mais 246 palavras

Anúncios

No dia que invadiram meu modesto blog, fizeram desaparecer uma matéria que escrevi sem cópia, direto no processador de texto do WordPress.

Versava sobre a péssima qualidade do jornalismo da Rede Globo, inspirado por Carlos Henriques Schroder. Uma escola de jornalismo como a Globo, à qual serviram mestres do quilate de  Armando Nogueira e Evandro Carlos de Andrade, virou pré-escola.

À mais recente constatação desse declínio assistimos todos os dias nos noticiários da rede, que incluem os canais a cabo. Dentre tantos descalabros, eu destaquei a péssima qualidade da cobertura do Caso Bruno, o goleiro do Flamengo.

A Globo levou o Brasil a acreditar que Macarrão, amigo do goleiro, assumiria a culpa da morte da modelo Elisa só para livrar a cara de Bruno. Meses antes, havia chegado ao absurdo de divulgar que Macarrão  era gay (e passivo) tinha caso com  Bruno, abrindo os caminhos para uma sucessão de especulação sem fim.

Só esqueceram de combinar com Macarrão.

No dia do depoimento, a Globo não teve medo de especular ainda mais. Nem mesmo o advogado de Macarrão foi  procurado para falar.

Então, quando a verdade foi revelada; quando Macarrão fez revelações bombásticas que a equipe de Schoder nem ligou,  continuaram mentindo. Todos os telejornais noticiaram que houve uma reviravolta no caso, que Macarrão enfiou até o talo a  culpa no Bruno.

Que reviravolta foi essa?

Não houve reviravolta alguma. A escola de jornalismo do Schroder recomendou que dissesse que houve uma “reviravolta” para acobertar o erro da equipe. Não tiveram a dignidade de pedir desculpas ao Brasil pela falta de responsabilidade no trato com a notícia. Continuaram mentindo, pois dizer que houve reviravolta foi mentira.

Não tiveram respeito nem humildade de pedir desculpas aos colegas de outros veículos (rádios, jornais etc) que embarcaram na onda, pois a Globo é uma fonte de excelência.

Houve, sim, um fato novo, desprezado pela Globo, como tantos outros.

Amigos, peço desculpas pelo sumiço.

Foi forçado. Este blog foi invadido, não faço idéia por quem. Aliás, faço sum, só não posso falar.

Quem tem David Tadeu na vida (ele insiste em ser apenas David), tem saída.

Depois de um mês quebrando a cabeça, olha nóis aqoraui travez!

Agora, a verdade tem espaço.

Obrigado aos milhares que, ainda assim, continuaram entrando aqui.

Isso não tem preço