Archives for posts with tag: obras

Falta de planejamento afeta todo comércio da região

morfeu colchões

Obras não respeitam afastamento ara carros em frente à loja da Morfeu, na Estrada Francisco da Cruz

O Jornal “EXPRESSÃO OCEÂNICA” de junho, com edição esgotada, publica que comerciantes e profissionais liberais da Região Oceânica de Niterói culpam e apontam a falta de planejamento e o desrespeito as classes produtoras como a principal causa da quebradeira geral que atingiu o setor durante a administração  do prefeito Rodrigo Neves (que trocou o PT pelo PV). Empresários dizem que a crise tem sido agravada com a “asfixia geral”, causada pelas obras da Transoceânica, ligando o Engenho do Mato a Charitas, passando pelo túnel Cafubá-Preventório.

Jorge Panaro, proprietário da  Morfeu  Colchões, com duas lojas na Estrada Francisco da Cruz Nunes, é uma das maiores vítimas do descaso municipal. Para sobreviver, teve que dispensar 2/3 dos funcionários que ficavam de braços cruzados por falta de clientes. Suas lojas form isoladas do público, em decorrência do trânsito interrompido. Não existe nenhuma alternativa temporária.

IMG_4181 (1)

Jorge  Panaro não aguenta mais

Agora, além do isolamento físico, a Morfeu Colchões, tradicional empresa de móveis infantis e de estilo na região, está sem luz, telefone e internet. Por conta da obra, todos os fios foram arrancados. “Acabaram comigo”, queixa-se  empresário Jorge Panaro.
– O que já era difícil ficou insustentável quando as obras interditaram minha lojas desde dezembro. Perdi a visibilidade e tive que montar uma operação de guerra para não sucumbir, renegociado  aluguéis, prazos com os fornecedores, dando férias aos funcionários até ser compelido a demitir colaboradores leais, que estavam comigo há muito tempo – lamentou.
Parano expressa o sentimento de todos empresários da Região. “Faltou planejamento e respeito à nossa classe. Todos sabíamos que haveria transtornos, mas não tanto assim. Foi interditando tudo à moda boi, sem levar em consideração que somos a maior fonte de trabalho na região. Resultado: o que estava difícil entrou em colapso por absoluta falta de clientes. Para se ter ideia da desorganização, usaram um papel ofício para sinalizar uma alternativa de trânsito para o Hospital da Unimed. Quer dizer, é uma falta de respeito geral, com todo mundo”, disse.
No momento em que concedia entrevista, Jorge Panaro era informado de outro absurdo: a Prefeitura mandou construir um meio-fio que vai inviabilizar o acesso ao estacionamento da loja na  entrada  do Jacaré.
Sem comunicação com o mundo exterior, nem mesmo as vendas por telefone e internet podem ser feitas. Panaro, como tantos outros comerciantes afetados, teve faturamento zero este mês  e não tem perspectivas  de como fará para se manter ativo. “Os bancos cobram juros extorsivos e temos que pagar. Até aqui, pudemos contar com a compreensão dos fornecedores, mas nem eles tem mais fôlego para nos atender. Não vejo a hora desse pesadelo acabar” finalizou.
Mesmo abalado com prejuízo, Parano enaltece os operários e técnicos das obras. “Eles fazem o possível, mas é tudo improvisado, na base da boa vontade  e compreensão com o nosso drama, mas eles não planejam nada, só executam”, concluiu o empresário.
Anúncios

Ideia é acabar com os transtornos causados pelas obras

zeca

Zeca Mocarzel 

Que Zeca Mocarzel foi o maior tocador de obras de Niterói não há dúvidas. Mocarzel é o exemplo-vivo de que administrar é contrariar interesse, em especial dos poderosos. Nas camadas mais simples da sociedade, ele é venerado. Pela elite, seja politica ou empresarial, há quem o odeie.
Com a aliança entre Jorge Roberto e Rodrigo Neves, o nome de Mocarzel volta a agitar os corredores. Não há quem duvide que será chamado para botar ordem na zona que se estendeu pelo município com obras por toda parte. A desordem causada pelos canteiros de obra está a revelar falta de controle e organização.
Fosse com Mocarzel, a Prefeitura teria preparado vias alternativas para o trânsito de veículos pesados no Cafubá e ao longo da Estrada Francisco da Cruz Nunes. As obras não levarm em conta o movimento do comércio e linhas de ônibus, penalizando muita gente há bastante tempo. A equipe de Rodrigo Neves conseguiu transformar um banho de obras em tremenda dor de cabeça para a população. Anonimo ou de frente, Zeca Mocarzel é o único a reunir condições para devolver a ordem à cidade. E imediatamente.
Ninguém no PV ou PDT confirma que Mocarzel está sendo sondado,mas ninguém desmente, nem ele próprio, que não retornou nossas ligações, o que faz aumentar os rumores sobre sua volta, como Secretário de Obras.
Uma coisa é certa: Mocarzel é o melhor e mais confiável quadro de Jorge Roberto Silveira. É ele ou ele mesmo.

Acabou-se o que era doce: a paz e tranquilidade dão lugar ao medo e desengano

fAZENDINHA

Ilza Barbosa (esq) explica propósitos ladeada por outros líderes comunitários

Moradores do Residencial Fazendinha, no Cafubá, que sofrem com as obras da Transoceanica e dos tuneis para Charitas, estão se mobilizando para enfrentar “um futuro sombrio e incerto” quando a obra estiver concluída. Reunidos na AABB, os integrantes do projeto “Vizinho Solidário” aprovaram um elenco de prioridades que precisam ser solucionadas.
Para se ter uma idéia da falta de respeito cm os moradores, as explosões para abertura dos túneis chegaram a ocorrer mais de 20 vezes por dia, indo até às 23h30min, com movimento constante de caminhões pelas ruas do condomínio. Hoje, as detonações estão reduzidas a apenas uma por dia.
– Fui reclamar e o engenheiro me disse que lei do silêncio não existe. É assim que nos tratam – queixou a moradora Ilza Barbosa, uma das líderes do movimento.
Uma coisa ficou evidente na reunião do Vizinho Solidário: a união dos moradores. Mesmo desprezados pela diretoria da Associação de Moradores da Fazendinha – AMAF- e pelo Comitê de Obras criado para representar a comunidade junto às construturas e Prefeitura, os vizinhos solidários não desistiram. Soltaram manifestos reclamando providencias, fizeram romarias nos órgãos públicos, passaram por constrangimentos e dissabores, mas não desistiam. O resultado é animador: mais de 120 famílias estão cadastradas e atuantes por meio de WhatsApp.
Na reunião de quinta-feira (28/4), os vizinhos aprovaram um Termo de Compromisso que servirá de base para um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC – a ser proposto ao Ministério Público. Dentre as prioridades formuladas está a instalação de uma cabine da Policia Militar ou Guarda Municipal nas proximidades do tunel. Além de dar segurança aos moradores também evitariam a ocupação desordenada, que se articula no Morro do Preventório.

SITIANTES QUEREM PROTEÇÃO E RESPEITO

dona maria

Dona Maria e o esposo receberam a garantia de apoio dos Vizinhos

Também estiveram presentes à reunião parentes dos mais antigos moradores do lugar, conhecidos por Sebastião e Sabará, além de dona Maria das Graças, legítima proprietária de terras no entorno dos túneis. Marisa Sabará explicou que não existem ocupações novas, apenas as moradias dos patriarcas, seus filhos e netos que ali se estabeleceram.
– Eu comprei minhas terras, paguei por elas e ainda não fui procurada ara receber indenização para a abertura da estrada e dos túneis – protestou dona Mara das Graça, que obteve o apoio do movimento. “Eles são nossos vizinhos e merecem toda nossa consideração e apoio”, disse Larissa Viot, outra líder do movimento.
Os sitiantes denunciaram que bandidos armados são vistos com frequência descendo do Preventório através de trilhas abertas na mata. Moradores que faziam footing na mata chegaram a ser ameaçados por bandos armados. O receio de todos é que a ameaça de ocupação do entorno dos tuneis seja apoiada por traficantes do Preventório. Por enquanto, os próprios moradores estão vigilantes para impedir a favelização.
Na próxima quinta-feira, os vizinhos solidários voltarão a se reunir na AABB, esperando contar com a presença da direção da AMAF e do Comité das Obras, instituído por decisão de Audiencia Pública.

Amor com amor se paga!

Rodrigo Neves (ex-PT e agora PV), este ano, já fez um termo aditivo de R$ 37 milhões para Construtora Constran, do delator Ricardo Pessoa.

rodrigo neves e pessoa

Prefeito Rodrigo Neves e lgo atrás Ricardo Pessoa, dono da UTC que é dona da Contran, maior financiador da campanha do prefeito de Niterói (foto da internet)

A obra dos tuneis da Rodovia Transoceânica de Niterói, orçada em R$ 310 milhões, já teve este ano um aditivo de R$ 37 milhões e 98 mil para “restabelecer o equilibrio financeiro da empresa”. Ou seja, imprevistos elevaram o custo acima da avaliação. Com o aparecimento de um infiltração, vai exigir muito mais dos cofres públicos. O prefeito Rodrigo Neves, como sempre, não deu respostas às perguntas que formulamos por sua assessoria. As obras são financiadas pelo BNDES com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC-2.
Os túneis e o BRT transoceânico, por coincidência, estão sendo construídos pela Constran, de Ricardo Pessoa, preso na Lava-Jato, que foi o maior financiador das campanhas de Rodrigo Neves. Em delação premiada, Pessoa disse que as doações para Rodrigo eram “investimento”. Eis que por obra do destino a empresa de Ricardo Pessoa foi a vencedoa da licitação.
A paz voltou a imperar no lotemento Fazendinha, no Cafubá, onde estão sendo perfurados os túneis da Rodovia Transoceanica de Niterói. Moradores estão há ceca de duas semanas sem ter o susto das explosões dentro da rocha, que sacode suas casas. Do lado de charitas há quem diga que não arou e continua a todo vapor.
Os moradores da Fazendinha estranharam quando caminhões deixaram de circular freneticamente pelo bairro, levando escombros do túnel. Também não se ouviram novas explosões. ” A ultima foi terça-feira da semana retrasada, feita pelo prefeito pessoalmete. Segundo os operários, está jorrando água da rocha”, disse uma moradora do local que pediu anonimato.

Recebi da leitora Lilian Lopes, no facebook a seguinte mensagem:

Bom dia,

Sr Paulo Freitas não sei mais pae quem pedir ajuda. Leio sempre o seu blog e decidi comentar um caso envolvendo  o sr. Rodrigo Neves, que  só sabe ficar posando para fotos, falando de conclusões de obras e tirando onda como se ele fosse o responsável por tudo de bom em Niterói.

Minha mãe pediu que enviasse uma mensagem ao senhor para que encarecidamente divulgue no seu blog, sobre a famigerada conclusão do alargamento da Estrada Francisco da Cruz Nunes.

Ele tirou fotos e ficou se gabando dizendo que ELE concluiu o alargamento da estrada Francisco da Cruz Nunes. Saiu nos jornais e tudo. Mas é mentira!!!! Já entramos em contato com a prefeitura de Niterói, pelo facebook do Rodrigo Neves, no twitter de Rodrigo Neves querendo informação referente a esta mentira que foi dita por aí, mas ninguém responde e ninguém sabe de nada.

A verdade é que o alargamento da Estrada Francisco da Cruz Nunes não foi concluido. Entre o cemitério Parque da Colina e um pouco antes da concessionária Hayasa (entrada do Monam Pequeno) continua o gargalo. Justamente lá, onde a rua é superestreita e as calçadas estão em péssimo estado. O pouco de calçada que temos serve de estacionamento e em vários pontos temos que passar pela rua, arriscando a vida.

Tem pontos que não passa nem um carrinho de bebe. Um absurdo e muita indignação , Rodrigo Neves  vir falar que ELE conclui a obra de alargamento. No começo do ano de 2012, na gestão do Prefeito Jorge Roberto Silveira, a prefeitura visitou as casas dos moradores aqui do Cantagalo e disse para alguns que necessitaria de desapropriação para duplicação da rua. Mutos aceitaram e tem alguns vizinhos que até deram entrada em outros estabelecimentos, pois era certa a desapropriação e a prefeitura disse que o alargamento seria rápido . Para quem estivesse de acordo, o dinheiro da indenização já estaria na conta. Diante disso, muitas pessoas já deram entrada em outros estabelecimentos, mesmo porque a maioria que seria desapropriada é composta de lojas comerciais.

Mas até agora NADA. Ninguém sabe de nada. No momento eles estão fazendo um desvio do trânsito nesta área no horário de 06 às 10h da manhã. Mas só beneficia quem não é morador , quem tem carro e vem de outros bairros. Nós que moramos aqui e trabalhamos em Piratininga como fica? E nossas crianças q estudam em Piratininga como ficam? Temos que andar muito p/ pegar o ônibus na parte da manhã. E friso novamente que em vários pontos aqui da estrada temos q passar pela rua, pois as calçadas estão horríveis, quase não temos espaço e em alguns pontos o pouco q resta serve de estacionamento. Um perigo para nós, pedestres. E COMO ELE NOTICIOU QUE O ALARGAMENTO FOI CONCLUIDO? É MENTIRA? NOSSO DINHEIRO POSTO NO LIXO. UMA OBRA QUE ERA JUSTAMENTE PARA ACABAR COM O GARGALO NO TRÂNSITO ENTRE O PARQUE DA COLINA E O MONAN E MELHORAR AS CALÇADAS NÃO FOI FEITA.

Além de não concluir a obra ainda desviou o trânsito nesta área. Absurdo com os moradores! Sabe o que eu fiquei sabendo hoje conversando com alguns vizinhos da área do Cantagalo?

Alguns imóveis já foram indenizados pela prefeitura e foi desapropriado. Mas, com a demora da obra esses imóveis foram invadido e tem gente lá falando que não vai sair. Vão querer ser indenizados. E com a demora vão decretar posse e querer indenização. A Prefeitura vai ter q gastar mais dinheiro (nosso dinheiro), Sr. Paulo Freitas, não escrevo muito bem, tenho vários erros de ortografia, mas sei que o senhor colocando no seu blog com as suas palavras (que são muito bonitas), logo-logo o Prefeito vai ficar sabendo e, quem sabe!,  assim ele decide responder ao sr, pois a mim e aos moradores ele não dá o mínimo de atenção, não responde nada e ainda nos ignora. POR FAVOR AJUDA A GENTE!!!!